Depois da derrota para o Brasil na estreia, a seleção chinesa voltou a campo sob pressão diante da África do Sul e, por um bom tempo, esteve a perigo. A partir de um gol de Gu Yashas logo antes do intervalo, porém, as asiáticas se acertaram e conquistaram uma vitória por 2 a 0 para somar seus três primeiros pontos no grupo E.

Com um estilo de jogo veloz e incisivo, embora algo desorganizado, as sul-africanas tiveram os melhores momentos do primeiro tempo e ganharam a simpatia da torcida presente no Estádio Olímpico. Na mais clara das chances, aos 43 minutos, Van Wyk bateu para o gol em falta indireta de dentro da área. A bola acertou a barreira, mas, no rebote, a própria Van Wyk acertou um sem-pulo no travessão da goleira Lina Zhao.

O problema foi que, logo após esse lance e imediatamente antes do fim da primeira etapa, veio a primeira chance concreta da China. E ela foi aproveitada: Gu Yashas foi lançada pela esquerda, invadiu a área e tocou bem, cruzado, na saída da goleira Roxanne Barker.

O golpe acertou em cheio a África do Sul, que voltou para a segunda etapa com dificuldade para criar. Os 45 minutos finais acabaram sendo de pouca ação até o finalzinho, quando, aproveitando as investidas das sul-africanas, a China criou chances. A que resultou no segundo gol foi inusitada e bela: Tan Ruyin viu Barker adiantada e, quase da linha do meio-campo, acertou um belo chute por cobertura.

As sul-africanas fecham sua participação no Grupo E contra o Brasil na terça-feira, na Arena Amazônia. Já a China enfrenta a Suécia, no mesmo dia, em Brasília.