FC Zurich vence clássico local na decisão
© Foto-net

O Torneio Juvenil FIFA/Blue Stars 2012 chegou ao fim em Zurique com o duelo entre dois grandes clubes locais na decisão desta quinta-feira. Debaixo de muito sol na maior cidade da Suíça, o FC Zurich venceu o Grasshopper por 2 a 0 e conquistou o título do evento pela quarta vez na sua história.

Depois da chuva que caiu no primeiro dia de competição, o clima de festa tomou conta do Complexo Esportivo Büchlern com muito calor, barraquinhas de salsichão, atividades para as crianças e um grande número de torcedores.

Os dois clubes de Zurique já lideravam as suas chaves ao final da rodada de quarta-feira, mas ambos os grupos permaneciam indefinidos. O Mazembe lutou até o último minuto, mas precisou se contentar com a segunda colocação do Grupo A. Na decisão do terceiro lugar, o time da República Democrática do Congo enfrentou o Zenit de São Petersburgo, segundo do Grupo B. Os russos mostraram um entrosamento impecável e contra-ataques velocíssimos, enquanto a equipe africana encantou pelo ataque criativo, dinâmico e imprevisível. A balança acabou pendendo para o lado europeu, com a vitória do Zenit por 1 a 0. O gol saiu dos pés de Alexey Panfilov, que já suscita comparações com o capitão da seleção russa Andrei Arshavin.

Ragon, Moses e outras revelações
Também chamaram atenção as atuações de Ragon Pembele, Moses Siausmo e Hervé Kamba pelo Mazembe. Formados numa academia de reconhecida qualidade, eles têm tudo para garantirem um belo futuro ao clube e à seleção da República Democrática do Congo.

Vale destacar ainda a bela organização do time do FC Porto, quinto colocado, garantida pelo cabeludo Fábio Martins, dono de uma sobriedade decisiva no meio-campo, e pelos laterais Frederico Maciel e Adriano Castanheira. Já ao sexto colocado Panathinaikos não faltou virilidade, mas a equipe pecou pela pouca ousadia. No Young Boys, que terminou na sétima posição, o desempenho de Michael Frey na goleada de 5 a 0 contra o Borussia Mönchengladbach foi motivo de muita satisfação.

O time alemão decepcionou com o oitavo lugar, mas não tanto quanto os turcos do Besiktas, que ficaram na lanterna e conseguiram a proeza de cometer dois pênaltis e levar um cartão vermelho em nove minutos contra o Porto. A única alegria do clube de Istambul foi a presença da sua fanática torcida, que animou as arquibancadas batucando e cantando sem parar.

Já o anfitrião Blue Stars era um dos azarões do torneio e, de fato, terminou na nona colocação. Mesmo assim, o time mostrou bom futebol e personalidade na vitória sobre o Besiktas. O seu camisa 10, Sheran Gunawardena, se destacou pelo corte de cabelo à la Neymar e pelos passes sem olhar que lembraram os de Ronaldinho Gaúcho.

A final colocou frente a frente dois adversários que se conhecem bem e, por isso mesmo, a partida foi acirrada desde o início. Mais técnico na intermediária, com Ali Imren e Ramadan Morina, o FC Zurich controlou a posse de bola, mas sem criar oportunidades de gol. Aliás, a maior chance foi do Grasshopper, em um chute à queima-roupa que o goleiro Yanick Brecher defendeu de maneira soberba. No segundo tempo, o FC Zurich voltou a pressionar e abriu o marcador com Fabio Schmid, antes de selar o triunfo com Imren já no finalzinho do jogo.

Classificação final:
1. FC Zurich
2. Grasshoppger
3. Zenit de São Petersburgo
4. Mazembe
5. FC Porto
6. Panathinaikos
7. Young Boys
8. Borussia Mönchengladbach
9. Blue Stars
10. Besiktas

Prêmio FIFA Fair Play:
FC Porto

Bola de Ouro adidas:
Levent Gülen (Grasshopper)

Luva de Ouro adidas:
Yanick Brecher (Zurique)