Capello faz Rússia ser novamente respeitada
© AFP

A seleção russa costuma ser acompanhada com grandes ambições pela sua torcida. Faltando cerca de cinco anos e meio para a realização da Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018, as ambições do futebol russo atingiram proporções ainda maiores. Sob o comando do técnico Fabio Capello, a Rússia vem suportando essa pressão com uma tranquilidade impressionante. O selecionado russo já foi muitas vezes comparado a um gigante adormecido. Agora, tudo indica que esse gigante pode estar acordando e com sede de vitória.

A Rússia está fazendo uma campanha fantástica nas eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Em quatro partidas, a equipe conquistou 12 pontos e tem um saldo de oito gols marcados e nenhum sofrido. A seleção comandada por Capello lidera com tranquilidade o Grupo F da zona europeia. Os russos não encontraram nenhuma dificuldade nas vitórias contra Azerbaijão (1 x 0), Israel (4 x 0) e Irlanda do Norte (2 x 0). Após a vitória em casa por 1 a 0 contra Portugal, que também tem grandes objetivos, não restam dúvidas sobre a qualidade do selecionado russo.

Retorno entre os dez melhores
Ao lado da Holanda, a Rússia é a única seleção que ainda não desperdiçou pontos na zona europeia do torneio classificatório para a Copa do Mundo da FIFA 2014. Graças à sequência de quatro vitórias consecutivas, os russos entraram pela primeira vez em mais de três anos de volta ao seleto grupo dos dez primeiros colocados do Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola. Em outubro de 2009, a seleção russa deixou a sexta colocação e, desde então, vinha flutuando entre a 11ª e a 25ª colocações. Na edição mais recente (novembro de 2012) da lista das melhores seleções do planeta, entretanto, os russos estão na nona posição.

O empate por 2 a 2 contra os EUA diante da sua própria torcida foi um pouco decepcionante e certamente deve ter servido para conter um pouco a euforia da torcida. No entanto, não há mais dúvidas de que o maior país do mundo está no caminho certo para voltar a figurar entre as maiores potências do futebol mundial. Possivelmente, a equipe do novo capitão Igor Denisov terá condições de fazer uma boa campanha já no Brasil 2014, não precisando esperar até a Rússia 2018.

Novo técnico, nova linha de trabalho
O próprio Capello deu início ao impulso ao futebol russo. O treinador italiano de 66 anos assumiu o comando da seleção depois da participação tímida na Eurocopa 2012, quando os russos foram eliminados ainda na fase de grupos. "Ele atribui muito valor à disciplina", afirmou o jogador Alexander Samedov, que atua pelo Lokomotiv de Moscou. E o treinador também implantou mudanças no plantel da equipe. Nomes importantes do futebol russo, como Andrei Arshavin, Roman Pavlyuchenko e Yury Zhirkov, ainda não entraram em campo pelas eliminatórias.

Capello já havia mostrado no comando da seleção inglesa que nenhum jogador é intocável para ele. O superastro David Beckham foi um dos que foram deixados de lado pelo treinador. Agora, ele fará o que for necessário para recolocar a Rússia na Copa do Mundo da FIFA, depois que o país ficou de fora da Alemanha 2006 e da África do Sul 2010. O seu lema é claro: quem quiser jogar pela Rússia, precisará se esforçar muito.

"Espero que estejamos entre os participantes da Copa do Mundo no Brasil daqui a dois anos", afirmou Capello recentemente em entrevista ao canal de televisão Mediaset Italia 2. "Depois disso, penso em parar. Mas, se eu receber uma oferta que for realmente interessante, poderei repensar essa decisão, embora não acredite muito nisso."