Ucrânia: confiança redobrada rumo à Euro
© Getty Images

"A principal missão da nossa equipe é vencer a Eurocopa 2012!" Com essa declaração, dada em entrevista exclusiva ao FIFA.com há cerca de dez meses, o técnico Oleg Blokhin não deixou dúvidas quanto às ambições da Ucrânia. O país, que sediará a competição em parceria com a Polônia, realmente parece estar no caminho certo para fazer uma boa participação no torneio continental que se iniciará no dia 8 de junho.

Há seis meses que a seleção da Ucrânia, maior país da Europa cujo território se situa integralmente no continente, está invicta. Nesse período, os ucranianos venceram Bulgária (3 a 0), Estônia (2 a 0) e Áustria (2 a 1), empataram com a Alemanha (3 a 3) e entraram em 2012 superando Israel fora de casa (3 a 2).

Foi este último resultado, aliás, que permitiu uma grande ascensão na edição de março do Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola - passaram da 59ª para a 49ª colocação. É verdade que a Ucrânia, que disputou a Copa do Mundo da FIFA 2006, está muito longe da sua melhor marca, a 11ª posição alcançada em fevereiro de 2007, mas a escalada recente é a prova de que a equipe de Blokhin tem bons motivos para estar confiante na Eurocopa.

"Somos uma equipe forte fisicamente e mostramos sempre muita dedicação e vontade no gramado", afirmou Anatoliy Tymoschuk, zagueiro do Bayern de Munique e recordista em número de atuações pelo seu país, em recente entrevista ao FIFA.com. "Para todos os jogadores ucranianos, esta é a primeira Eurocopa, por isso precisamos aproveitar a nossa experiência em jogos pela seleção e trazer os jogadores jovens para o nível da seleção ucraniana. Então, mostraremos o que realmente podemos."

Apesar da euforia, não pode ser esquecido o fato de que a Ucrânia é a segunda seleção pior posicionada no Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola entre os 16 participantes da Eurocopa. Apenas a Polônia, a outra anfitriã do torneio, fica ainda mais para trás, na 75ª posição. Além disso, Tymoschuk e companhia estão no forte Grupo D, ao lado de França, Inglaterra e Suécia, e passar para a segunda fase não será uma tarefa fácil.

Pensando nisso, Blokhin aproveita a oportunidade para relativizar o objetivo que estabeleceu. "Obviamente, a nossa primeira meta precisa ser passar da fase de grupos", comentou o treinador. "Tentaremos fazer o nosso melhor, mas se não conseguirmos realizar a primeira tarefa, o objetivo principal não será possível. Além disso, vamos caminhar dando um passo de cada vez." O técnico, que foi um grande jogador na sua época, enxerga como um dos maiores desafios estabilizar o setor defensivo da sua seleção. "O meio de campo e o ataque estão me causando menos preocupações, porque já há vários jogadores promissores nesses setores."

Muitos especialistas apontam que a Ucrânia dependerá muito das condições de Andriy Shevchenko. Atualmente com 35 anos, o craque estabeleceu como objetivo ser titular da equipe na Eurocopa que será disputada no seu próprio país. No entanto, uma contusão no calcanhar está atrapalhando a preparação dele para o torneio continental. O atacante, que viveu muitas glórias com as camisas do Milan e do Chelsea e atualmente coloca os seus gols a serviço do antigo clube, o Dínamo de Kiev, está encarando uma verdadeira corrida contra o tempo para se recuperar.

Esperanças e ascensão a longo prazo
Mas o principal astro do selecionado ucraniano é o seu treinador. O próprio Shevchenko admitiu que a volta de Blokhin para o banco de reservas da Ucrânia em abril de 2011 aumentou a autoconfiança de todos. Agora, o país de 45 milhões de habitantes tentará utilizar essa alavanca emocional para dar o próximo passo em uma esfera maior. Somente assim seria possível montar uma base para que o futebol ucraniano continue a se desenvolver mesmo depois da Euro 2012.

"Está claro que a Eurocopa pode dar um grande impulso para o desenvolvimento do futebol da Ucrânia, assim como para o desenvolvimento das infraestruturas do país", comentou Blokhin em entrevista ao FIFA.com. "Ao mesmo tempo, a organização da Euro também é um grande desafio para a nossa nação, porque é a primeira vez que vamos sediar um evento tão grande. Por isso, esta Eurocopa pode ser vista como um teste da nossa capacidade de realizar torneios similares no futuro. Não seria exagero dizer que o povo ucraniano está esperando com certa impaciência para que o show comece e possamos mostrar a famosa hospitalidade ucraniana aos nossos visitantes."