Um campeão, quatro classificados
© AFP

A raça e o espírito de luta da Coreia do Sul entraram em campo neste sábado com a seleção sub-19 do país. Em final disputada no emirado de Ras Al Khaimah, nos Emirados Árabes, os jovens sul-coreanos despacharam o impressionante Iraque na disputa de pênaltis e voltaram a levantar a taça da Copa Asiática de Seleções da categoria.

Reeditando confronto da fase de grupos, quando os dois finalistas empataram sem gols, o pentacampeão Iraque abriu o marcador minutos antes do intervalo, com o goleador Mohanad Abdulraheem. Os sul-coreanos chegaram ao empate com estilo, quando o meia Moon Changjin foi às redes já nos acréscimos. A igualdade no placar acabou levando a decisão para a prorrogação, que não teve gols.

Com isso, o campeão seria decidido na disputa de pênaltis. Os sul-coreanos converteram todas as suas cobranças, enquanto do lado iraquiano apenas Ahmed Abbas Hattab balançou as redes. A vitória por 4 a 1 garantiu à Coreia do Sul seu 12º título da competição, uma marca recorde.

"O jogo de hoje foi muito difícil, mas todos os nossos jogadores deram seu melhor", declarou aliviado o técnico da Coreia do Sul, Lee Kwangjong — a equipe comandada por ele havia marcado apenas três gols durante a fase de grupos, mas desencantou no mata-mata e goleou o Irã por 4 a 1, além de eliminar o Uzbequistão com placar de 3 a 1. "Nosso adversário foi melhor hoje, e preciso admitir que tivemos muita sorte ao arrancar o empate no final", admitiu.

Apesar da derrota, o Iraque de Hakim Shakir pode voltar para casa de cabeça erguida. Isso porque, com uma série de excelentes apresentações, o país acabou sendo a surpresa do torneio. Após terminar em primeiro lugar em um grupo que contava também com China e Tailândia, os iraquianos despacharam o Japão, por 2 a 1, e superaram a Austrália com o placar de 2 a 0, chegando à sua primeira final desde o ano 2000.

"Há vários bons sinais", declarou o treinador iraquiano. "Esta geração de jogadores tem um futuro brilhante pela frente. Agora retornamos ao Iraque e começamos nossa preparação para a Copa do Mundo."

Australianos e uzbeques também comemoram
Como a competição serviu também de eliminatória para a Copa do Mundo Sub-20 da FIFA Turquia 2013, até mesmo os eliminados Austrália e Uzbequistão encerraram sua participação em clima de comemoração, já que também garantiram vaga no Mundial.

Os jovens socceroos demonstraram sua eficiência na primeira fase ao ficar com a primeira colocação do grupo com apenas três gols marcados em três jogos — o menor índice entre os quatro semifinalistas. A seleção comandada por Paul Okon se mostrou organizada e esteve bem defensivamente, vencendo Catar, Síria e Arábia Saudita sempre pelo placar mínimo antes de chegar às quartas de final. Então veio a vitória por 3 a 0 sobre a Jordânia, que selou a terceira participação australiana no Mundial da categoria.

Já os uzbeques tiverem de encarar um grupo que contava com a atual campeã Coreia do Norte e ainda Jordânia e Vietnã, mas também ficaram em primeiro lugar. O outro adversário no caminho até as semifinais foi a Síria, batida nos pênaltis.

Revelações
Desde a sua criação, em 1959, o torneio vem proporcionando o palco ideal para os jovens talentos brilharem e se destacarem. A 37ª edição não poderia ser diferente e apresentou uma ampla gama de talentos ao futebol internacional.

Na verdade, as quatro melhores seleções devem o sucesso a seus grandes jogadores, que encantaram o continente como verdadeiros craques. Entre eles estão Changjin, do Pohang Steelers, que fez quatro gols, incluindo o de empate na final, e seu companheiro de equipe Kang Sangwoo, que se destacou na função de goleador anotando duas vezes diante do Uzbequistão.

Ainda mais impressionante foi o atacante uzbeque Igor Sergeev, que balançou as redes em cada um dos cinco jogos disputados por seu país, incluindo duas partidas em que marcou dois gols em cada, e sagrou-se artilheiro. Também decisivo foi Corey Gameiro, responsável por todos os seis gols australianos na competição.

Mas quem roubou todos os olhares foi, não por acaso, o melhor jogador do torneio: Abdulraheem, cujo gol contra a Coreia do Sul ampliou sua contagem pessoal a cinco. "Estou bastante confiante de que estaremos bem preparados para a Copa do Mundo no ano que vem", apontou o adolescente. "Estamos determinados a representar a Ásia de uma forma positiva e mostrar ao mundo o futebol que jogamos no Iraque."