México
© LOC/MexSport

Ontem
O México é um frequentador assíduo da Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA. Em seis edições, o país não participou apenas da edição da Tailândia 2004. Assim como tem acontecido com as demais seleções mexicanas de base nos últimos anos, a evolução da equipe feminina sub-20 ao longo da história do torneio tem sido evidente. Depois de serem eliminadas na fase de grupos em suas três primeiras participações, as meninas tricolores conquistaram a tão sonhada classificação para as quartas de final nas duas últimas edições, Alemanha 2010 e Japão 2012. E no torneio nipônico elas ficaram muito perto das semifinais, tendo perdido um equilibrado confronto com a Nigéria por apenas 1 a 0 e na prorrogação.

Hoje 
Como tem sido costume, os Estados Unidos mais uma vez dominaram o Campeonato Feminino Sub-20 da CONCACAF, disputado nas Ilhas Cayman. Maior potência da categoria, com três títulos mundiais em seis edições, o conjunto norte-americano bateu o México na final regional com um contundente 4 a 0. Mas a derrota não pode ofuscar a bela campanha mexicana no torneio. Foram 19 gols marcados e apenas um sofrido na primeira fase, concluída com 100% de aproveitamento. A vaga para o Canadá 2014 veio com a vitória sobre a Costa Rica na semifinal. As adversárias até chegaram a abrir o placar, mas as mexicanas mantiveram a tranquilidade e, com gols de Zermeño, Ibarra e Valadez, garantiram presença na final da competição e na Copa do Mundo.

"Passamos da fase de grupos nos dois últimos Mundiais, portanto esse é o nosso objetivo", disse o técnico Christopher Cuéllar após a vitória nas semifinais. "No dia 1º de março haverá o sorteio. Vamos conhecer os adversários e começar a nos preparar para as partidas. A equipe precisa melhorar, veremos quais são nossas opções."

Amanhã
O objetivo do México é continuar somando vitórias e se fortalecendo no cenário internacional. Com um futebol de talento coletivo e muito dinamismo, a seleção feminina sub-20 aposta no faro de gol de Tanya Samarzich, artilheira da equipe nas eliminatórias (seis gols), e, de maneira geral, no poder ofensivo que fez do México o país que mais chutou a gol (113), superando inclusive as norte-americanas (93).