Nova Zelândia

Ontem 
A Nova Zelândia tem grande intimidade com a Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA. Este ano, no Canadá, o país fará a sua quinta participação consecutiva na competição. A estreia foi na Rússia 2006, a primeira aparição em um torneio feminino da FIFA em 15 anos, quando conquistou apenas um ponto ao empatar com a forte Seleção Brasileira. Dois anos depois, no Chile, as neozelandesas ficaram a poucos segundos de entrarem para a história como a primeira equipe nacional (tanto feminina como masculina) a chegar à segunda fase de um torneio da FIFA. Um gol de empate da Inglaterra nos acréscimos pôs fim ao sonho. Após a decepção na Alemanha 2010, em que sofreram três derrotas, as jovens kiwis se recuperaram no Japão 2012. Mas, mesmo com os quatro pontos conquistados, um deles em um empate com as anfitriãs, elas acabaram ficando de fora das quartas de final. 

Hoje 
As neozelandesas fizeram uma preparação modesta para a campanha nas eliminatórias do torneio, apesar dos sinais de melhora das rivais da Oceania. Na estreia, elas aplicaram uma goleada de 12 a 0 sobre Vanuatu. Na segunda partida, contra Tonga, a vitória pelo placar apertado de 3 a 1 surpreendeu. A vaga foi garantida nos minutos finais da vitória por 3 a 0 sobre Papua-Nova Guiné, que também brigava pela classificação.

Amanhã 
A quantidade de jovens atletas convocadas para a seleção principal da Nova Zelândia tem sido grande nos últimos anos, e o técnico Aaron McFarland vem procurando manter essa trajetória de desenvolvimento. A equipe que ele comandou no torneio classificatório incluiu 11 jogadoras da seleção que disputou a Copa do Mundo Feminina Sub-17 da FIFA 2012, e outras cinco da seleção sub-17 deste ano. Sete meninas da seleção sub-20 foram devidamente recompensadas pelo desempenho nas eliminatórias para o Canadá 2014 com uma convocação para representar a seleção sênior do país na Copa Algarve, em março.

A posse de bola é parte da filosofia de jogo da Nova Zelândia em todas as faixas etárias. "Um dos principais pontos da nossa evolução é desenvolver um jogo de posse de bola", diz McFarland. "Temos jogadoras em toda a equipe que sabem dominar a bola e que podem demonstrar uma boa inteligência de jogo."