Internazionale supera a desconfiança
© Getty Images

 Quando a Internazionale chegou aos Emirados Árabes Unidos para disputar a Copa do Mundo de Clubes da FIFA, há uma semana, muita gente achava que a campanha do time na atual temporada do Campeonato Italiano e da Liga dos Campeões da UEFA não pesava a seu favor. Os prognósticos pendiam para o lado do campeão sul-americano, o Internacional de Porto Alegre.

No entanto, foram os nerazzurri que fizeram a festa neste sábado, 18 de dezembro de 2010, ao término da partida decisiva em Abu Dhabi. Liderados por um Samuel Eto'o especialmente inspirado, os jogadores da equipe italiana venceram o Mazembe em grande estilo, por 3 a 0. Eles ganharam os seus dois jogos pelo mesmo placar e ainda provaram, apresentando um belo futebol, que reencontraram o espírito que os levou à consagração na Europa — nada melhor para começar 2011 com o pé direito.

O clube já havia conquistado a Copa Intercontinental em 1964 e 1965, mas a vitória deste ano teve um sabor especial e permitiu que os interistas recuperassem a confiança após um início de temporada bastante ruim. Além disso, a Inter se igualou ao eterno rival Milan, que venceu a Copa do Mundo de Clubes da FIFA em 2007.

Eto’o mereceu o prêmio de melhor jogador da competição, sobretudo depois da sua atuação na final. Além de ter dado o passe para que o macedônio Goran Pandev abrisse o marcador, o camaronês fez um golaço para matar o jogo ainda no primeiro tempo. A pá de cal veio com o francês Jonathan Biabiany, que anotou o terceiro da Inter a cinco minutos do encerramento.

Apesar da derrota, o Mazembe foi a grande revelação do torneio. A equipe comandada pelo técnico Lamine N’Diaye fez excelente campanha, eliminando o Internacional na semi graças a dois gols de Mulota Kabangu e Dioko Kaluyituka. Embora tenha sido vítima da experiência dos italianos, o clube da República Democrática do Congo entrou para a história como o primeiro africano a chegar à decisão do Mundial.

A animação musical dos torcedores do Mazembe agitou o estádio, como já havia acontecido nas duas partidas anteriores. Os brasileiros também soltaram a voz na decisão do terceiro lugar, empurrando o Inter na vitória de 4 a 2 sobre os sul-coreanos do Seongnam. Além da reconciliação com a torcida, o triunfo permitiu que os jogadores da equipe de Porto Alegre prestassem uma justa homenagem ao goleiro Roberto Abbondanzieri. O argentino entrou em campo nos últimos minutos da partida antes de encerrar a sua carreira.

Os Colorados voltaram a sorrir ao verem o Inter produzir o mesmo futebol que levou o clube à conquista da Libertadores. O nome do jogo foi Alecsandro, que deu o passe para o primeiro gol de Tinga e balançou a rede duas vezes. O argentino Andrés D’Alessandro chutou colocado para fazer o terceiro, uma verdadeira pintura. O Seongnam também contou com o talento sul-americano para descontar. O colombiano Mauricio Molina assinou os dois tentos do campeão asiático e terminou na artilharia da competição, com três gols. Na estreia contra o Al Wahda, pelas quartas de final, ele marcou um e deu duas assistências na goleada de 4 a 1 sobre os anfitriões.

Mas o sonho dos sul-coreanos chegou ao fim na semifinal contra a Internazionale, uma partida em que o capitão Javier Zanetti brilhou mais uma vez com o uniforme do clube. A saída prematura de Wesley Sneijder, que se contundiu pouco depois do pontapé inicial, não impediu que o time de Milão vencesse por 3 a 0. O jogador holandês também ficou fora da decisão.

Os jogadores do Seongnam esperavam repetir o desempenho do também sul-coreano Pohang Steelers, terceiro colocado em 2009. Mas a equipe dirigida por Shin Tae-Yong foi tímida demais no ataque e precisou se contentar com o quarto lugar.

Já o Pachuca chegou ao Oriente Médio exibindo sólidas ambições para a sua terceira participação no torneio. Contudo, o clube mexicano não deu sorte e terminou apenas na quinta colocação. No seu último jogo, os homens de Pablo Marini derrotaram o Al Wahda nos pênaltis. Os jogadores do time anfitrião poderão se consolar ao compararem a sua campanha à dos compatriotas do Al Ahli, lanternas em 2009. Este ano, os emiradenses terminaram na sexta posição.

Para o Hekari United, a experiência também foi positiva. Apesar do último lugar na classificação, os representantes da Oceania tiveram o prazer de participar de um Mundial ao lado das melhores equipes dos cinco continentes.

A edição de 2010 da Copa do Mundo de Clubes da FIFA foi um sucesso. Esta é a avaliação do presidente da entidade, Joseph S. Blatter. "Os Emirados Árabes atingiram um nível muito alto", declarou em coletiva realizada na sexta-feira. No ano que vem, a competição voltará a ser disputada no Japão.

Classificação do torneio
1-     Internazionale
2-     Mazembe
3-     Internacional
4-     Seongnam
5-     Pachuca
6-     Al Wahda
7-     Hekari United

Estádios
Estádio Mohammed Bin Zayed (Abu Dhabi) 
Estádio Zayed Sports City (Abu Dhabi)

Artilheiros
Mauricio Molina (Seongnam), com três gols; Alecsandro (Internacional), Dario Cvitanich (Pachuca) e Fernando Baiano (Al Wahda), todos com dois.