Buscar no FIFA.com
Buscar na web

Resumo

O futebol saiu ganhando

O futebol saiu ganhando
© Getty Images

O Barcelona chegou a Abu Dhabi com a missão de zelar pela reputação de ser o melhor e mais empolgante time do planeta. Empolgante, foi. O elenco estelar da equipe de Pep Guardiola encantou o mundo com um futebol inimitável e envolvente. E, apesar do susto, acabou sendo o melhor, também. Ao derrotar o Estudiantes por 2 a 1 na final e erguer a taça da Copa do Mundo de Clubes da FIFA pela primeira vez, o Barça conquistou o seu sexto título este ano — um feito que nenhuma outra equipe jamais conseguiu.

Curiosamente, a sala de troféus do time catalão não continha nenhum título mundial até o início do torneio. Em 1992, o Barcelona perdeu para o São Paulo por 2 a 1 na final da Copa Toyota — a precursora da Copa do Mundo de Clubes da FIFA — e, em 2006, foi derrotado por 1 a 0 pelo Internacional de Porto Alegre. A ligeira suspeita de que o clube poderia ter o mesmo destino em 2009 começou a surgir cinco minutos após a estreia do Barça nos Emirados Árabes.

O gol de Guillermo Rojas deu ao Atlante uma vantagem inesperada na semifinal, mas não bastou para amedrontar o campeão europeu. Pelo contrário: provocou um festival inspirado pela riqueza de recursos da equipe da Catalunha. O Barcelona acabou vencendo por 3 a 1 para avançar a uma final que, sem dúvida, foi a melhor das seis edições da Copa do Mundo da FIFA até hoje.

De maneira geral, o Barcelona dominou a partida. Jogando com o brilhante segundo uniforme, Daniel Alves, Xavi, Lionel Messi, Zlatan Ibrahimovic e companhia criaram muitas chances com os seus dribles desconcertantes, tapinhas na bola, tabelas e enfiadas. Surpreendentemente, no entanto, eles não conseguiram balançar as redes de Damian Albil, que contou com a proteção heroica dos seus zagueiros. Aos 37 minutos da primeira etapa, Mauro Boselli cabeceou para o gol e pôs a equipe de La Plata em vantagem no marcador.

Isso até os 44 do segundo tempo. Até que o verdadeiro abafa do Barcelona desse resultado. Até que Pedro marcasse de cabeça para levar o jogo para a prorrogação. No tempo extra, o Barça continuou a atormentar os adversários. O gol da vitória saiu do peito de Messi, ganhador da Bola de Ouro adidas e do Prêmio TOYOTA.

Contudo, o Estudiantes merece muitos aplausos. Afinal de contas, o clube argentino ficou a poucos minutos de conseguir uma vitória que quase todo mundo julgava impossível.

Em terceiro lugar ficou o Pohang Steelers, cuja atuação inesperada e impressionante fez lembrar a campanha que levou a Coreia do Sul ao quarto lugar da Copa do Mundo da FIFA 2002. O feito não parecia verossímil quando o Mazembe assumiu a vantagem sobre os sul-coreanos nas quartas-de-final. Aquela, porém, foi a deixa para que Denílson mostrasse seu futebol. O atacante brasileiro marcou duas vezes para levar o campeão asiático à semifinal do torneio, eliminando os africanos.

Na sequência, Denílson brilhou e marcou na derrota de 2 a 1 para o Estudiantes. Se o Pohang Steelers não estivesse com apenas oito homens em campo e, consequentemente, se o brasileiro não tivesse passado de matador a goleiro, a partida contra os argentinos poderia ter tido um desfecho diferente. Na disputa pelo terceiro lugar, o atacante de 33 anos ajudou o seu time a derrotar o Atlante — primeiro, marcando o gol do empate em 1 a 1 no tempo regulamentar e, depois, convertendo a cobrança na decisão por pênaltis. Denílson foi o artilheiro da competição.

O Auckland City também superou todas as expectativas. O histórico da Nova Zelândia na Copa do Mundo de Clubes da FIFA registrava quatro jogos e quatro derrotas ao início da edição de 2009. Contudo, o plantel laborioso e disciplinado do técnico Paul Posa superou o Al Ahli, representante do país-sede, para chegar às quartas-de-final contra o Atlante. A equipe deu mais trabalho do que o esperado para os mexicanos, apesar da derrota por 3 a 0. Os neozelandeses voltaram a quebrar a escrita na partida pelo quinto lugar, vencendo o Mazembe por 3 a 2.

A cerimônia de encerramento proporcionou uma bela e adequada conclusão para o torneio. Muitos tiveram razões para comemorar: os Emirados Árabes Unidos, por terem desempenhado um papel formidável como anfitriões; o Auckland City, por ter engrandecido ainda mais o ano glorioso vivido pelo futebol neozelandês; o Pohang Steelers, por ter feito pouco da lógica e da estatística; e o Barcelona, por ter se sagrado campeão mundial jogando de maneira fascinante e encerrando um 2009 perfeito.

No entanto, conforme o presidente da FIFA Joseph S. Blatter havia destacado em entrevista na quinta-feira, foi o futebol que saiu ganhando na paradisíaca Abu Dhabi.

Fatos Rápidos

  • Equipes: 7
  • Quando: 10 Dezembro 2009 a 20 Dezembro 2009
  • Final: 19 Dezembro 2009
  • Jogos: 8
  • Gols: 25 (média 3.1 por partida)
  • Público: 156350 (média 19543)

Torneios
Copa do Mundo de Clubes da FIFA Todas as edições

EAU 2009 Campeões

  • Campeão: FC Barcelona
  • Vice-campeão: Estudiantes de La Plata
  • Terceiro: Pohang Steelers
  • Quarto: Atlante
  • Bola de Ouro adidas: Lionel MESSI (ARG)
  • Prêmio FIFA Fair Play: Atlante

Fotos

  • Zlatan Ibrahimovic of FC Barcelona celebrates with his teammates
  • Carlos Puyol holds the cup aloft amongst FC Barcelona players
  • Daniel Alves of FC Barcelona celebrates with the cup
  • Gerard Pique of FC Barcelona kisses the cup