As frases da semana
© AFP

O início da fase de grupos da Copa Libertadores – com direito a boa atuação de Ronaldinho e a triunfos de Fluminense e Palmeiras – e os primeiros jogos das oitavas de final da UEFA Champions League foram os destaques da semana na América do Sul e Europa. Mas teve mais. Abaixo, o FIFA.com traz um resumo das melhores frases do período. Confira:

“Foi sorte. Eu fui limpar a boca e o árbitro deu sequência na jogada. Não foi nada ensaiado, não, foi sorte mesmo”, Ronaldinho, autor da assistência para o gol de Jô na vitória do Atlético-MG sobre o São Paulo por 2 a 1, pela Libertadores.

“Todo mundo sabe que não tem impedimento em lateral, mas ninguém acompanhou o Ronaldinho quando ele foi tomar água e o lance aconteceu. Fizemos um baita jogo e merecíamos o empate, mas estamos na competição e temos agora dois jogos em casa na Libertadores para encaminhar nossa situação à próxima fase”, Ney Franco, técnico do São Paulo.

“Foi um erro nosso de marcação. Ele estava em posição irregular. Quem o acompanha devia estar nele naquele momento. Tínhamos de jogar com erro zero, mas erramos e sofremos o gol”, Rogério Ceni, goleiro do São Paulo.

“Estrear com vitória era o nosso objetivo. Sabíamos das dificuldades que iríamos enfrentar por não conhecer tanto o Caracas e ainda por jogar fora de casa, mas a equipe soube se portar bem. Agora temos que desligar da Libertadores e pensar no Carioca. Vai começar aquela fase complicada de viagens e jogos sempre decisivos”, Fred, atacante do Fluminense, após marcar o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Caracas.

“Jogo em Libertadores é sempre complicado, aguerrido. Se não jogarmos bem e vencermos, está excelente. O que vale são os três pontos, ganhar em casa. Empatar em casa na Libertadores é como se fosse derrota. E fora de casa, não jogamos para somar um ponto, mas para tirar dois do adversário”, Fernando Prass, goleiro do Palmeiras, após a vitória sobre o Sporting Cristal.

“Clássico é bom. Melhor voltar em um jogo como esse porque, teoricamente, vai vir bola para eu defender. Não que outros times não chutem, mas é um jogo diferente. Você precisa estar concentrado, atento. Venho treinando diariamente e vou estar pronto”, Cássio, goleiro do Corinthians, antes do clássico contra o Palmeiras.

“Claro que podemos marcar em Old Trafford. Muitas equipes o fizeram esta temporada. O segundo jogo é na Inglaterra e, por isso, o Manchester United não vai poder defender tanto como fez em Madrid”, José Mourinho, treinador do Real Madrid sobre o duelo da Liga dos Campeões.

“Teria aceitado o 1 a 1 antes do jogo. Fiquei algo desiludido com o primeiro tempo da minha equipe, mas o gol marcado fora é importante”, Alex Ferguson, treinador do Manchester United.

“Em Moscou, eu corri até o @cristiano para comemorar. Ontem à noite, eu queria correr até ele para... estrangulá-lo!! Mas sejamos justos, ele teve de segurar a onda”, Rio Ferdinand, zagueiro do Manchester United, comparando a final da Liga dos Campeões de 2008 ao confronto da última quarta, em sua conta do Twitter.

“Já tenho um Ronaldo na minha equipe. Quando Gareth Bale arranca nunca se sabe o que pode acontecer. Jogadores da dimensão de Bale e Ronaldo agigantam-se para ajudar as suas equipes”, André Villas-Boas, treinador do Tottenham, sobre as semelhanças entre Bale e Cristiano Ronaldo.

“O gol de Cardozo foi muito importante. Falamos antes do jogo e disse-lhe para não estar ansioso. O gol dele foi uma obra de técnica, de frieza, de classe, no fundo”, Jorge Jesus, treinador do Benfica, sobre o gol da vitória marcado por Óscar Cardozo no campo do Bayer Leverkusen.

“O F. C. Porto será um adversário muito difícil. Tive a oportunidade de jogar três anos em Portugal e sei bem o que é esse time, muito competitivo. Será uma série complicada e precisamos estar muito concentrados”, Javier Saviola, sobre a partida da Liga dos Campeões entre o Málaga e o F. C. Porto, ao FIFA.com.

“Sabemos que é um dos melhores do mundo, mas não temos conhecimento se chegará. Mas, se chegar, com certeza será muito mais complicado jogar, porque a concorrência será maior", Pedro, atacante do Barcelona, sobre a possibilidade de Neymar se juntar ao elenco do time catalão.

"Não podemos dizer muitas coisas. Eles vêm tendo um desempenho muito forte. Cada contra-ataque da equipe deles é muito perigoso. A verdade é que, talvez, fomos muito ingênuos durante o primeiro tempo. Precisamos ter consciência de que eles têm jogadores extraordinários, como Lucas e (Ezequiel) Lavezzi", Ernesto Valverde, técnico do Valencia, após a derrota para o Paris Saint-Germain.

“O difícil é tomar a decisão, ainda mais sendo a segunda cirurgia em um ano. Tanto que a primeira semana, em que eu fiquei num hotel em Barcelona, foi a mais difícil: quase não podia levantar da cama, depois, quando muito, levantava com muletas; comia na cama, tinha dificuldade para tomar banho. Não podia praticamente fazer nada, quanto mais jogar futebol”, Júlio Baptista, relembrando suas duas cirurgias que o deixaram parado por 16 meses, ao FIFA.com.

“É algo grande, e estamos todos ansiosos para ir ao Brasil. E não vamos apenas jogar pela Nigéria, mas também ser motivo de orgulho para a África”, Efe Ambrose, zagueiro da Nigéria, logo após o título da Copa Africana de Nações, ao FIFA.com.

"A Copa do Mundo no Brasil é nossa prioridade absoluta. Mas caso a Noruega não consiga a classificação, vou aproveitar para me casar. No fim, é uma situação em que só tenho a ganhar, Havard Nordtveit, defensor norueguês, revelando seus planos para junho de 2013, ao FIFA.com.

“O futebol que o Barcelona joga é uma das coisas mais bonitas do mundo. Tenho sorte de viver este momento e poder assistir a este ótimo futebol. É incrível e, honestamente, me impressiona. Nunca em minha vida vi um time jogar melhor”, Robbie Williams, cantor.