Muralhas, eliminações e artilheiros argentinos
© Getty Images

"Davis" derrubando "Golias" na Inglaterra e no continente africano são os destaques da análise estatística do FIFA.com nesta semana. Também temos espaço para a invencibilidade de um goleiro na França, um gol de tirar o fôlego nos Emirados Árabes Unidos e os feitos de dois artilheiros argentinos dentro da área.

686

minutos sem sofrer gols é o tempo que o arqueiro do Paris Saint-Germain, Salvatore Sirigu, acumulou no último domingo após passar o sétimo jogo consecutivo sem ter sua meta vazada. O italiano de 26 anos viu a bola entrar pela última vez quando, aos 40 do segundo tempo, Valentin Eysseric fez 2 a 1 para o Nice sobre a equipe de Carlo Ancelotti no dia 1º de dezembro. Desde então, os parisienses pararam o Evian Thonon Gaillard, o Valenciennes, o Lyon, o Brest, o Ajaccio, o Bordeaux e, no fim de semana, o Lille, assumindo a liderança do campeonato nacional. Sirigu ainda está bem longe do recorde da competição – 1.176 minutos em 1992/93, estabelecido por Gaetan Huard, do Bordeaux. Por outro lado, o PSG só deu dois chutes a gol contra o Lille – sua pior marca no atual torneio – e nenhum entrou. No entanto, o gol contra de Aurélien Chedjou aos 22 do segundo tempo foi suficiente para que, pela primeira vez desde 1996/97, o time vencesse o adversário nos dois turnos de uma mesma edição da competição.

24

anos depois de uma equipe não pertencente à liga inglesa – equivalente às quatro primeiras divisões do futebol do país – eliminar um adversário da primeira divisão na Copa da Inglaterra, o Luton Town conseguiu o feito diante do Norwich City no sábado, graças a um único gol marcado pelo substituto Scott Rendell aos 40 do segundo tempo. E, apesar de em 1989 a vitória do Sutton United sobre o Coventry City por 2 a 1 ter sido bastante surpreendente, o triunfo do Luton foi indiscutivelmente mais impressionante. Afinal, não só o modesto clube jogava fora de casa, como a diferença de categoria entre as divisões do futebol inglês aumentou claramente neste período. Aliás, o fim de semana não foi nada bom para os times de elite no torneio, já que cinco equipes da primeira divisão foram derrotadas por rivais de ligas inferiores – é a primeira vez que isso acontece desde 1994 e apenas a sétima desde 1927. Apesar de o uruguaio Luis Suárez marcar seu oitavo gol no mesmo número de jogos, o Liverpool perdeu por 3 a 2 do Oldham Athletic, da segundona, e deu adeus à competição eliminado por um adversário mais modesto pela sexta vez desde a temporada 1999/2000. Aston Villa, Queens Park Rangers e Tottenham foram os outros times da elite surpreendidos na rodada.

21

anos depois de a Argélia se tornar a última detentora do título a ser eliminada na primeira fase da Copa Africana de Nações seguinte, Zâmbia seguiu o mesmo caminho. A seleção comandada por Hervé Renard empatou os três jogos que fez no Grupo C e, apesar de ampliar sua invencibilidade a 11 partidas na competição, ao longo de três edições, não fez o suficiente para terminar entre os dois primeiros e garantir vaga nas quartas de final. A Nigéria acabou na frente dos zambianos graças aos dois gols que o atacante do Chelsea, Victor Moses, marcou no fim do encontro com a Etiópia, dando a seu conjunto a vitória por 2 a 0. No entanto, o grupo foi inesperadamente vencido por Burkina Fasso. Um gol de Alain Traoré nos últimos instantes assegurou aos burquinenses um empate em 1 a 1 diante dos nigerianos na estreia. O mesmo jogador balançou a rede duas vezes na goleada por 4 a 0 sobre os etíopes, dando a seu selecionado a primeira vitória em 19 partidas na competição desde o 1 a 0 sobre a Guiné em 1998. A seguir, um empate sem gols com a Zâmbia garantiu a classificação de Burkina Fasso – é apenas a segunda vez na história que o país passa da fase de grupos.

11

jogadores do Al Ain – literalmente o time inteiro, incluindo o goleiro – tocaram a bola na jogada de 19 passes que levou ao gol que selou a vitória por 4 a 0 sobre o Ajman no último sábado. Curiosamente, o chute certeiro de Yousef Ahmad foi seu primeiro toque depois de entrar como substituto. Em grande parte mérito do jovem meia de criação Omar Abdulrahman, de apenas 21 anos, que participou dos quatro gols, a vitória foi a nona consecutiva do Al Ain. Assim, o clube ampliou a nove pontos sua vantagem na liderança, a 12 rodadas do fim do Campeonato Emiradense. A equipe agora soma impressionantes 53 gols em 14 jogos na temporada (média de 3,8 por jogo), um a mais do que todos os marcados ao longo das 22 partidas da campanha do título de 2011-12.

4

gols é o que Mauro Icardi, da Sampdoria, e Lionel Messi, do Barcelona marcaram no fim de semana – feito que apenas um homem havia realizado nos cinco principais campeonatos nacionais europeus em 2012/13. Este havia sido Radamel Falcao, que balançou a rede cinco vezes na goleada do Atlético de Madri sobre o La Coruña por 6 a 0 em dezembro. Com isso, os três jogadores a realizar a façanha nesta temporada são sul-americanos. Com apenas 19 anos, Icardi, que chegou à Sampdoria vindo do Barça em 2011, ajudou a equipe genovesa a fazer 6 a 0 sobre o Pescara – é a primeira vez que o clube marca mais de cinco gols em casa desde o triunfo por 6 a 3 sobre o Napoli em dezembro de 1997, quando Vincenzo Montella fez três. Já Messi conduziu a equipe azul-grená a uma vitória por 5 a 1 que o deixou como responsável por nove dos últimos 15 gols do clube sobre o Osasuna. O argentino também ultrapassou Cristiano Ronaldo e se tornou o único atleta a marcar quatro gols mais de duas vezes no Campeonato Espanhol desde a virada do século.