As frases da semana
© AFP

A primeira convocação de Luiz Felipe Scolari no retorno à Seleção Brasileira, a repercussão de toda a movimentação do mercado e as entrevistas de quem brilhou na Gala da Bola de Ouro FIFA são os destaques das Frases da Semana do FIFA.com. Confira!

“Nosso objetivo não é só o ano de 2013; esperamos que 2014 seja ainda melhor. Esperamos que sejamos grandes campeões a partir de agora, com um grupo e um país forte para receber os adversários e vencê-los”, Luiz Felipe Scolari, após o anúncio de sua primeira convocação no retorno ao comando da Seleção Brasileira

"A equipe é muito boa. O talento é enorme e a vontade também. E uma coisa muito importante é que, quando você se acostuma a ganhar, gera pressão e responsabilidade sobre si mesmo para enfrentar o desafio seguinte. Tivemos um pouco de sorte também, como nos pênaltis contra Portugal, mas depois fizemos uma grande final diante da Itália e coroamos o grande trabalho de uma geração, que em minha opinião é impossível de melhorar", Xavi Hernández, meia do Barcelona e da seleção espanhola, sobre o sucesso da Fúria

"É muito parecido. A sorte vem aparecendo mais para esta temporada, mas os trabalhos são quase iguais. É normal, o Tito era o assistente do Pep, trabalhou muito com ele. As personalidades de cada um são diferentes, mas os treinos são muito parecidos, o sistema é quase o mesmo, a vontade está intacta. É o próprio exemplo de continuidade", Xavi, sobre as diferenças entre o Barcelona de Guardiola e o de Tito Vilanova

"A equipe é muito competitiva e queremos ir bem em todos os torneios. Gostaríamos de ganhar tudo, mas temos que ser prudentes e muito cautelosos. Talento não faltará. Esperemos que a sorte nos acompanhe também", Xavi, sobre as aspirações do Barça

"É o momento de continuar competindo da mesma maneira, crescendo como jogador e confirmando o que venho fazendo. Isso é o importante. O que espero para este ano é me manter entre a elite da Europa", Radamel Falcao Garcia, sobre seus planos para o futuro

"Quando você joga com Julien Féré, Mevlüt Erding ou Jonathan Pitroipa, é certo que terá bem mais oportunidades de gol", Romain Alessandrini, meia do Rennes, sobre os companheiros de ataque

"É um lugar novo para mim, com uma cultura completamente diferente do que estou acostumado, mas dentro de campo é tudo igual. Ouvi ótimos comentários sobre o país e o clube. Acredito que não terei nenhum problema de adaptação no país. O time é bom, conta com vários jogadores da seleção, e acredito que temos boas chances de conquistar o título da Liga este ano", Bruno césar, em sua apresentação no Al-Ahli, da Arábia Saudita

"Estou entusiasmado com a possibilidade de voltar a Portugal, um lugar onde fui muito feliz e cujo futebol eu conheço bem. O Porto é uma grande equipe, que eu pretendo ajudar. Quero chegar logo para me entrosar com os companheiros e brigar por títulos, tanto o Campeonato Português quanto a Champions League", Liédson, reforço do FC Porto até o fim da temporada

"Não se tratava de revanche e sim de alcançar um objetivo que tínhamos na cabeça. A Copa de 2011 acendeu uma chama que não parou de queimar dentro de nós. Um objetivo conjunto nos uniu e conseguimos alcançá-lo. Eu não poderia estar mais feliz e orgulhosa de minha equipe porque não foi apenas nos Jogos Olímpicos. Tivemos de dar o melhor de nós em todos os jogos e no final também fomos um pouco favorecidas pela sorte", Abby Wambach, eleita Jogadora do Ano da FIFA, sobre a conquista do Torneio Olímpico de Futebol Feminino em Londres 2012

"Acredito que o futebol tem uma capacidade única de unir países e comunidades, propagar mensagens de esperança e influenciar mudanças sociais", Princesa Astrid da Bélgica, em entrevista ao FIFA.com