Uns com tantos, outros com tão pouco
© AFP

Um recorde do experiente Alessandro Del Piero, gols históricos de Edinson Cavani e Michael Owen e uma certa falta de pontaria na África do Sul são os destaques da análise estatística do FIFA.com nesta semana, além de uma goleada histórica do Irã nas areias.

150

gols na Premier League inglesa é o total que Michael Owen atingiu no último sábado, tornando-se o sétimo jogador desta lista. O atleta de 33 anos de idade saiu do banco para marcar o gol de honra do Stoke City na derrota por 3 a 1 em visita ao Swansea, encerrando assim a sua própria seca de quase 18 meses e pondo fim ao longo jejum da sua equipe, que não balançava as redes pelo Campeonato Inglês havia 281 minutos. Alan Shearer (260), Andy Cole (187), Thierry Henry (175), Robbie Fowler (162), Frank Lampard (158) e Wayne Rooney (151) são os outros que já superaram a marca de 150 gols na Premier League.

100

gols na Série A italiana é o total a que o atacante Edinson Cavani alcançou no domingo. Na ocasião, o uruguaio do Napoli balançou as redes justamente contra o time pelo qual havia anotado o primeiro tento na divisão principal da Itália. Em março de 2007, Cavani saiu do banco para estrear no Campeonato Italiano e só precisou de 16 minutos para marcar o gol do empate do Palermo diante da Fiorentina com um belo chute de sem-pulo digno de comparações com Marco van Basten. Já o centésimo gol de Cavani garantiu o empate em 1 a 1 do vice-líder Napoli diante da Fiorentina em Florença, deixando a equipe do sul a cinco pontos da líder Juventus. O jogador de 25 anos de idade, titular da seleção uruguaia, chegou a 17 gols em 18 jogos na temporada 2012/13 do Calcio, três à frente de Antonio Di Natale (Udinese) e Stephan El Shaarawy (Milan) na corrida pela artilharia. Cavani quer ser o primeiro sul-americano a ganhar o prêmio desde Hernan Crespo em 2000/01, o primeiro do Napoli desde Diego Maradona em 1987/88 e o primeiro uruguaio desde Ettore Puricelli em 1940/41.

55

finalizações sem sucesso haviam sido registradas antes do primeiro gol da Copa Africana de Nações 2013. No primeiro dia, África do Sul x Cabo Verde e Angola x Marrocos tiveram 17 conclusões em cada jogo, mas nenhum gol. A rede só foi balançar na terceira partida, no domingo. Outros 21 arremates não haviam entrado até que Emmanuel Agyemang-Badu abriu o marcador para Gana contra a República Democrática do Congo naquele que era o 220º minuto de jogo da competição. O tento abriu as porteiras para mais três em um espaço de 28 minutos e um empate em 2 a 2.

20

gols a zero foi o placar do Irã contra as Filipinas na terça-feira, batendo o recorde de maior goleada da história do Campeonato Asiático de Beach Soccer. O recorde anterior da competição, que também vale como classificatório para a Copa do Mundo de Beach Soccer da FIFA, era o placar de 16 a 0 do Japão sobre as mesmas Filipinas em 2006. Desta vez, os filipinos mantiveram a meta invicta por seis dos 36 minutos e terminaram o primeiro dos três períodos perdendo por apenas 3 a 0. Só que o Irã desencantou e marcou dez gols no período final na praia de Katara em Doha, capital do Catar. Mohammad Ahmadzadeh e Mohammad Ali Mokhtari fizeram quatro gols cada um, e Farid Boloukbashi, Moslem Mesigar e Ali Naderi marcaram três cada.

4

gols nunca haviam sido marcados na mesma partida por Alessandro Del Piero até este sábado, quando o italiano, dono de uma carreira de 21 anos, liderou o Sydney na goleada de 7 a 1 sobre o Wellington Phoenix — a maior do time na história do Campeonato Australiano. O atacante de 38 anos de idade deu o passe para o primeiro gol do jogo, marcado pelo estreante Joel Griffiths. Em seguida, o italiano marcou três gols em menos de 20 minutos (dois em jogadas individuais e um de pênalti), algo que apenas quatro jogadores já haviam conseguido em toda a história da competição. Del Piero fez outro belo gol no segundo tempo, tornando-se assim o quarto jogador a anotar quatro tentos em um jogo da A-League. Os outros foram Archie Thompson, Shame Smeltz (duas vezes) e Besart Berisha. A oito minutos do fim, quando o Sydney já ganhava por 6 a 1, ele foi substituído e ganhou aplausos de pé. Yairo Yau ainda fez o sétimo para os anfitriões, que igualaram a marca de segunda maior goleada da história da A-League e condenaram o Wellington à sua pior derrota em um jogo pela liga profissional australiana. O segundo triunfo consecutivo deu moral ao Sydney, que estava na lanterna antes de o técnico Frank Farina assumir no final de novembro, mas agora já está em sétimo entre dez equipes.