Uma conquista repleta de significados
© Getty Images

Na análise estatística do FIFA.com desta semana, o destaque fica por conta das façanhas da americana Abby Wambach, do francês Neal Maupay e do italiano Stephen El Shaarawy. Também não poderia faltar o feito do Corinthians, além do recorde do Millionarios colombiano.

150

gols pela seleção americana é o marco alcançado por Abby Wambach, que fez dois na vitória por 4 a 0 sobre a China na quarta-feira passada. Aos 32 anos, ela está a apenas oito de igualar o recorde mundial do futebol feminino, pertencente à compatriota Mia Hamm. Quem também busca superar essa marca é a canadense Christine Sinclair, que já tem 143 e na semana passada recebeu o prêmio de melhor atleta de 2012 em seu país. Por ora, porém, Wambach segue firme como a maior artilheira de seleção ainda em atividade. Seus gols contra as chinesas, aliás, ajudaram seu conjunto a manter o amplo domínio sobre a adversária. Desde 2003, as americanas jogaram 19 vezes contras as vice-campeãs mundiais de 1999 e nunca perderam – foram 16 vitórias e três empates.

16

anos, quatro meses e um dia era a idade de Neal Maupay quando ele marcou o gol da vitória do Nice sobre o Evian nos descontos do encontro do sábado passado. Com isso, o atacante se tornou o segundo atleta mais jovem a balançar as redes na história do Campeonato Francês, 34 anos depois de Laurent Rousseay fazer o mesmo para o Saint-Étienne com 16 anos, três meses e 25 dias. Neste mesmo ano, o garoto-prodígio esteve perto de bater outro recorde. Ele estreou como profissional apenas 31 dias depois de seu 16º aniversário, 14 dias depois de Christopher Aurier, o mais jovem jogador a defender uma equipe da primeira divisão francesa, ter feito o mesmo. Mas Maupay com certeza não poderia pedir uma estreia mais emocionante como artilheiro. Seu gol, o terceiro do Nice, saiu aos 48 do segundo tempo – e isso depois de seu clube estar perdendo por 2 a 0.

14

Campeonatos Colombianos foi a marca que o Millionarios alcançou neste domingo ao derrotar o Independiente Medellín na final do torneio nacional. Assim, o clube de Bogotá volta a ser o mais vitorioso de seu país, encerrando um longo jejum de 24 anos. Nos últimos tempos, o América de Cáli havia igualado os 13 títulos que o Millonarios tinha até então, enquanto o Atlético Nacional encostou, com 11. No entanto, graças à vitória nos pênaltis na decisão do Torneio Finalização, o clube mais poderoso das décadas de 50 e 60 na Colômbia voltará à Copa Libertadores em 2013 depois de 15 anos de ausência.

14

gols é quanto o italiano Stephen El Shaarawy já marcou na atual temporada sem a ajuda de nenhuma penalidade máxima. Entre os cinco principais campeonatos nacionais da Europa, apenas Lionel Messi, com 24 pelo Barcelona, e Zlatan Ibrahimovic, com 16 pelo Paris Saint-Germain, tiveram melhor pontaria do que o jovem de 20 anos, descontando os pênaltis. A contagem do atacante do Milan é melhor, por exemplo, do que qualquer coisa que o próprio Ibrahimovic conseguiu fazer pelo clube italiano, e iguala o feito de Andriy Shevchenko de 2003/04, em sua melhor campanha pela equipe de San Siro. O último gol de El Shaarawy foi na goleada por 4 a 1 sobre o Pescara. A curiosidade é que neste jogo também saiu o segundo gol mais rápido da temporada italiana, marcado por Antonio Nocerino para o time milanês aos 36 segundos. Ainda na Itália, Antonio Di Natale voltou a balançar a rede dez ou mais vezes na mesma temporada da Série A pela oitava vez em sua carreira, enquanto Andrea Pirlo marcou seu quarto gol de falta nesta edição do campeonato. Nada menos do que 20 dos 49 gols dele na competição saíram desta maneira. Nos últimos 30 anos, este é um feito que apenas quatro homens conseguiram: Roberto Baggio e Gianfranco Zola têm a mesma quantidade, enquanto Alessandro Del Piero, com 22, e Sinisa Mihajlovic, com 27, o superam.

5

títulos consecutivos de times europeus na Copa do Mundo de Clubes da FIFA foi a sequência que o Corinthians encerrou ao derrotar o Chelsea por 1 a 0 neste domingo. Com a vitória, o Timão acabou com o recente domínio do Velho Continente e recuperou a taça que havia conquistado há 12 anos, na edição inaugural da competição. Com a ida do troféu ao Brasil pela quarta vez na história, o país também se consolidou como o mais vitorioso na história do torneio. Os brasileiros também são superiores se a antiga Copa Intercontinental for levada em consideração, com dez títulos ao todo – um a mais que Argentina e Itália. Por sua vez, a Inglaterra só venceu duas vezes a disputa, e o Chelsea foi seu último representante ao cair na decisão. O cartão vermelho recebido por Gary Cahill só piorou a noite do time londrino. Ele foi o primeiro jogador desde Nemanja Vidic em 2008 a ser expulso na final do Mundial.