Novas marcas do insaciável Messi
© AFP

Um dos gols mais rápidos da história do futebol espanhol e três gols em questão de minutos na Sérvia são alguns dos destaques na análise estatística do FIFA.com nesta semana. Também temos espaço para os êxitos do Cliftonville e da Sampdoria e mais uma série de recordes de certo argentino de 25 anos.

118

anos depois de marcar oito gols fora de casa pela primeira vez, o Cliftonville, da Irlanda do Norte, repetiu o feito no sábado passado. Depois de vencer o Ballymena United em casa por 2 a 1 no primeiro turno do Campeonato Norte-Irlandês, foi a vez de fazer uma visita ao adversário, que buscava chegar ao oitavo jogo invicto. No entanto, Liam Boyce e Stephen Garret marcaram dois gols cada e ajudaram sua equipe a marcar um incrível 8 a 0, que lhe permitiu abrir sete pontos de vantagem sobre o segundo colocado na tabela. É a segunda maior goleada – e a maior vitória fora de casa – dos 132 anos de história do clube mais antigo da Irlanda do Norte. O triunfo mais amplo do Cliftonville foi o 10 a 1 sobre o Saint Malachy em 1886.

56

gols na UEFA Champions League é a marca que Lionel Messi alcançou nesta terça-feira, ao balançar a rede do Spartak de Moscou duas vezes na vitória do Barcelona por 3 a 0. Assim, o argentino empatou com Ruud van Nistelrooy como o segundo maior artilheiro da história da competição. Curiosamente, o holandês só havia conseguido balançar as redes 12 vezes em partidas válidas pela Liga dos Campeões quando tinha 25 anos e 149 dias – a idade que o "Pulga" tinha na noite desta terça. Raúl é o maior goleador do torneio, com 71, mas, ao marcar contra os russos, Messi ainda igualou o recorde do espanhol de balançar as redes em 19 cidades europeias diferentes pela Liga. O camisa 10 do Barça também se tornou o primeiro jogador a fazer mais de um gol em 15 partidas da competição, superando Raúl. Enquanto isso, Xavi fez seu 124º jogo no torneio, empatando com Clarence Seedorf na quarta posição neste critério, atrás de Raúl (142), Ryan Giggs (131) e Iker Casillas (126).

11

segundos bastaram para José Antonio Reyes balançar a rede e registrar o quinto gol mais rápido da história do Campeonato Espanhol, no último domingo. Nenhum companheiro de equipe do atacante do Sevilha havia tocado na bola até então, e ele aproveitou um erro do goleiro do Betis, Adrián, para marcar no clássico sevilhano pela primeira vez em mais de nove anos. Os únicos a fazerem gols mais rápidos na competição foram Joseba Llorente (para o Valladolid em 2008, com sete segundos), Darío Silva (para o Málaga em 2000, com oito segundos), Carlos Diarte (para o Valência em 1977, com dez segundos) e Mariano Armentano (para o Osasuna em 2001, também com dez segundos de jogo). O chute certeiro de Reyes também fez dele o jogador a marcar o gol mais rápido do dérbi da capital andaluza , superando o recorde anterior de 35 segundos alcançado por Pepe Mel – atual técnico do Betis – em 1990-91. Reyes acabou marcando novamente no encontro e, junto do companheiro Federico Fazio, que também fez dois, ajudou o Sevilha a evitar ficar sem vencer cinco clássico consecutivos. Para completar, o gol de Ivan Rakitic nos descontos, que selou a goleada por 5 a 1, permitiu que os alvirrubros marcassem cinco gols nos arquirrivais pela primeira vez em quase 70 anos.

7

derrotas seguidas foi a sequência que a Sampdoria encerrou ao vencer por 3 a 1 o arquirrival Genoa, que perdeu o sexto clássico consecutivo desde 1992. Com o resultado, o técnico da equipe derrotada, Gigi Delneri – curiosamente o último homem a conduzir a Samp à vitória no chamado "Dérbi da Lanterna", em abril de 2010 –, acumula cinco derrotas consecutivas desde que assumiu o clube rubro-azul. Com o triunfo, a Sampdoria escapou da zona de rebaixamento e relegou o rival à última colocação.

3

gols nos últimos 11 minutos de jogo foi o feito de Aleksandar Noskovic, do Spartak Zlatibor Voda sérvio, que entrou como substituto, e virou o placar da partida contra o Jagodina para 3 a 1. O meia de 23 anos estava em campo havia apenas oito minutos quando empatou aos 38 do segundo tempo com um chute na cara do gol. A seguir, com um toque sutil, ele pôs sua equipe em vantagem já nos descontos e completou a façanha ao pegar a bola no meio de campo e acertar o chute. Foi uma reviravolta bastante representativa da temporada do Spartak – depois de perder seus quatro primeiros jogos, o time do técnico Petar Kurcubic está invicto há nove, somando 16 pontos em 18 possíveis e ocupando a quinta posição na tabela.