As frases da semana

A Bola de Ouro FIFA 2012 segue no centro dos debates e durante a semana o FIFA.com trouxe opiniões de gente que conhece bem o cobiçado troféu. Ronaldo Nazário, três vezes eleito melhor do mundo, concedeu uma longa entrevista em vídeo em que falou sobre a premiação; e o alemão Lothar Matthäus, jogador do ano de 1991, também conversou conosco sobre os indicados de 2012. Enquanto o aquecimento para a grande festa segue a todo vapor, a Copa do Mundo de Futsal da FIFA Tailândia 2012 e a reta final do Campeonato Brasileiro também agitam o noticiário, ainda mais depois do anúncio de que o mítico Rogério Ceni jogará por mais uma temporada com o São Paulo, renovando seu contrato. Confira o nosso resumo dos últimos acontecimentos do planeta bola através das frases da semana:

“Quero título, precisamos ganhar, vamos tentar fechar 2012 com o título da Sul-Americana...estamos próximos de conseguir a vaga na Libertadores, é um sonho de todo são-paulino, ter um time forte, competitivo, que tenha tido essa experiência em jogos internacionais. Quem sabe buscar um título, seria um final perfeito”, Rogério Ceni, goleiro do São Paulo, que estendeu seu vínculo com o clube por mais uma temporada – ele vai completar 40 anos em janeiro de 2013

"Na minha geração, posso dizer que a concorrência era muito maior do que hoje, sem desmerecer absolutamente o Messi e o Cristiano Ronaldo, que são os dois que vão estar aí brigando nos próximos anos como melhor do mundo. Mas, na minha época tinham Zidane, Rivaldo, que ganhou um ano, o Figo, eu, depois Ronaldinho Gaúcho... Foi uma geração em que a disputa para ser o melhor era muito grande. Naquela época, quem ganhasse seria com certeza merecedor. Eu e o Zidane dominamos esses anos, ganhando Bolas de Ouro em sequência – ele três e eu três. Foram anos espetaculares que nós vivemos e quem gosta de futebol aproveitou e desfrutou", Ronaldo, sobre a diferença entre o prêmio de melhor jogador do mundo em sua época e nos dias atuais

"O retorno com a Bola de Ouro foi magnífico, porque foi mais um título pessoal, de superação, uma história para mostrar par todo mundo. Eu lutei contra  o meu corpo durante um ano e meio para me recuperar e fui coroado com poder jogar a Copa do Mundo de 2002. Joguei bem, fui artilheiro da Copa e consegui a Bola de Ouro. Foi uma vitória até mais importante do que a primeira, por causa das dificuldades que encontrei no meio do caminho", Ronaldo, sobre a emoção de receber a Bola de Ouro em 2002

"Obviamente, no decorrer do ano foram principalmente Lionel Messi e Cristiano Ronaldo que encantaram e estabeleceram novos recordes com os seus muitos gols. No entanto, nenhum dos dois teve o mesmo sucesso e o mesmo desempenho pelas suas seleções. Por isso, acredito que um espanhol deveria ganhar a Bola de Ouro FIFA. Os meus dois favoritos são Xavi e Iniesta. Eles talvez não marquem a mesma quantidade de gols que Messi e Ronaldo, mas costumam ganhar títulos tanto pelo clube quanto pela seleção. Além disso, eles são indiscutivelmente o centro do time e ditam o ritmo de jogo, e mostraram isso mais uma vez de forma impressionante na Eurocopa", Lothar Matthäus, ex-capitão da Alemanha, sobre a Bola de Ouro FIFA 2012

"O Cristiano Ronaldo também é um cara decisivo, que marca muitos gols. Hoje, quando se fala em melhor do mundo, são esses dois. Mas eu votaria no Messi. Porque, além de ele ter um grande time jogando ao seu lado, ele também faz coisas diferentes. Então, é um cara que, para mim, merece ganhar novamente, até pela quantidade impressionante de gols que ele fez na temporada. Fez mais gols que todo mundo", Hulk, atacante da Seleção e do Zenit, revelando seu favorito para o prêmio de melhor do ano também ao FIFA.com

"Se eu pudesse, votaria em mim mesmo para ganhar a Bola de Ouro. Humildade demais não é bom. Em Portugal, as pessoas são exageradamente humildes, mas por vaidade", Cristiano Ronaldo, atacante do Real Madrid indicado ao prêmio de melhor jogador do ano, lamentando não poder apontar seu próprio nome na eleição

"A conclusão que eu tiro é que nós devemos jogar do mesmo jeito. Sair para o jogo como nesta quarta-feira, ter oportunidades de gol, persistir e tentar até o final, sendo em todo o momento uma equipe reconhecível. Eu não gosto de perder, mas prefiro perder desde jeito", Tito Vilanova, técnico do Barcelona, sobre a derrota para o celtic pela Liga dos Campeões da UEFA

"O futebol foi tudo. Agora, para mim, o mais importante é ter uma boa saúde. O meu objetivo não é o de voltar a jogar. Tenho que ver até onde chego. Terão coisas que eu aguentarei, outras não. As prioridades são a família e a saúde. Tenho que ir passo a passo", Éric Abidal, lateral esquerdo francês do Barcelona, que se recupera de um transplante de fígado

“É importante acabar em primeiro lugar, para mantermos essa nossa hegemonia em mundiais e, na parte prática, como líderes do grupo, no primeiro jogo dos mata-matas permanecemos na nossa sede, onde temos toda uma estrutura montada”, Simi, pivô da Seleção Brasileira de futsal, após a vitória sobre Portugal que encerrou a primeira fase 100% da equipe no Mundial da Tailândia

"Se não acreditarmos, quem acreditará? Precisamos ter esperança até o fim. Sabemos que está difícil e temos consciência de que o campeonato está acabando, mas enquanto houver chance matemática, vamos lutar", Wesley, volante do Palmeiras, sobre a luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro

"Nunca trouxe euforia aqui para dentro. Sempre mantivemos a tranquilidade até agora. É muito importante continuar com esta seriedade. A soberba e o ‘oba-oba’ não levam a nada. Há um entendimento grande entre jogadores e comissão técnica sobre isso. Antecipamos a concentração contra o São Paulo após três dias de folga para isso. Sabemos que estamos perto, mas ainda não conseguimos o título", Abel Braga, técnico do Fluminense, líder isolado do Brasileirão combatendo a euforia antecipada nas Laranjeiras

"Até o final do ano tenho o Gaúcho, mas trabalhamos com o nome do Ricardo. Se o Ricardo quiser, ele será o primeiro nome. Senão, iremos analisar a situação", Roberto Dinamite, presidente do Vasco, garantindo que o retorno do ex-treinador vascaíno, que sofreu um AVC, é prioridade para 2013

"O que as novas jogadoras precisam aprender é a dar um passe preciso, mas também a encontrar ou criar espaços e a trabalhar com pouco espaço. A partir de agora, essas habilidades serão um fator chave para as equipes juvenis do Japão, e também para a seleção principal. É muito difícil que jogadoras de 25 anos adquiram essas habilidades, mas a atual jovem geração japonesa está melhorando rapidamente em termos de técnica individual", Norio Sasaki, técnico da seleção feminina do Japão, indicado a melhor treinador do ano