Títulos, recordes e um mestre de Wembley
© Getty Images

Façanhas diante do gol adversário são o destaque da análise estatística do FIFA.com nesta semana. Lionel Messi, Didier Drogba, Diego Milito e Yoan Gouffran são as estrelas desta vez, ao lado dos campeões nacionais Ajax e Anderlecht.

72

gols em uma única temporada é a incrível marca que permitiu a Messi estabelecer um novo recorde mundial. Depois dos três que fez no Málaga na quarta-feira passada, ele anotou todos os quatro gols do Barcelona na vitória de sábado sobre o Espanyol. Assim, o fenômeno argentino não só superou o recorde europeu de 67, pertencente a Gerd Müller, como também a melhor marca de todos os tempos, estabelecida pelo americano Archie Stark no Bethlehem Steel, dos Estados Unidos, nos idos de 1924-25. Ao marcar pelo menos três vezes em cada partida, Messi aumentou o número de ocasiões em que realizou este feito para 14, superando a façanha de César Rodríguez no Barça entre 1942 e 1955. O que é mais notável: Messi agora marcou mais gols no Campeonato Espanhol (50) do que o ex-craque holandês Johan Cruyff anotou em toda sua carreira no clube catalão. Além disso, balançou a rede sozinho mais vezes do que 13 dos 20 clubes da atual competição. O único recorde que pode estar fora de seu alcance é o de 60 gols em um mesmo campeonato nacional, estabelecido em 1927-28 pelo inglês Dixie Dean – algo que nunca foi igualado em nenhuma das cinco principais competições europeias.

31

títulos nacionais é o marco alcançado pelo Ajax na quarta-feira passada, que ampliou seu histórico vitorioso e estabeleceu novo recorde para os países do Benelux (região formada por Bélgica, Holanda e Luxemburgo). Mas isso foi somente até o sábado, quando o Anderlecht "copiou" a façanha do tradicional clube de Amsterdã e consolidou sua condição de clube mais vencedor na Bélgica, também chegando ao 31º troféu. O título saiu da maneira mais emocionante possível: um gol de pênalti de Guillaume Gillet aos 49 do segundo tempo garantiu o empate em 1 a 1 com o Bruges, adversário direto do novo campeão e segundo em número de taças no país (13). Já na Holanda, a investida do Ajax na reta final do torneio rumo à consagração terminou com sua 14ª vitória consecutiva (um 2 a 0 sobre o VVV). O conjunto comandado por Frank de Boer foi o primeiro desde aquele Ajax campeão europeu na década de 1990 e bi holandês em 1995 e 96 a conseguir defender o título nacional.

13

segundos era tudo que havia passado no jogo Auxerre x Bordeaux desta segunda-feira quando Yoan Gouffran, da equipe visitante, marcou o gol mais rápido do Campeonato Francês em mais de seis anos. O veloz atacante de 25 anos ficou a pouco de bater o recorde pertencente ao atacante Denílson, ex-São Paulo e Palmeiras, que balançou a rede também pelo Bordeaux com apenas 11 segundos de bola rolando no dia 26 de marco de 2006. Gols-relâmpago, aliás, parecem ser uma especialidade do clube. O desta segunda foi o quarto da atual temporada – a maior quantidade entre os times da primeira divisão francesa. Gouffran ainda fez o segundo apenas quatro minutos depois e o Bordeaux abriu 3 a 0 cinco minutos mais tarde – o menor tempo que um time da França levou para fazer este placar nos últimos 15 anos. No final, o conjunto visitante ganhou por 4 a 2, tornando-se o segundo time em 597 jogos do Campeonato Francês a marcar quatro vezes no Estádio de l'Abbé-Deschamps, do Auxerre.

8

gols em oito partidas em Wembley é a excelente marca de Didier Drogba, que, no sábado, se tornou o primeiro jogador a marcar em quatro finais da Copa da Inglaterra. Ao fazer o segundo do Chelsea na vitória por 2 a 1 sobre o Liverpool, o marfinense manteve seu impecável retrospecto de anotar em todas as seis decisões que disputou pelo clube azul. O time londrino também contou com outro talismã: foi Ashley Cole, que ampliou seu recorde de medalhas de campeão da competição para sete – a primeiras três foram conquistadas quando ele ainda defendia o Arsenal. Excetuando-se as derrotas em decisões por pênaltis, o Chelsea perdeu apenas uma de suas últimas 34 partidas pela copa inglesa e levou o troféu para casa em quatro das últimas seis edições.

3

gols em um clássico de Milão é um feito que, antes do domingo, apenas um jogador da Internazionale havia realizado. Diego Milito conseguiu ampliar esse seleto grupo na vitória de sua equipe por 4 a 2 sobre o Milan, tornando-se o primeiro desde Istvan Nyers, em novembro de 1953, a cumprir a façanha pela Inter no Campeonato Italiano. Fazia mais de 52 anos que um jogador de ambos os lados da grande rivalidade milanesa não fazia tantos gols em um clássico – o brasileiro Mazzola, então do Milan, foi o último a conseguir isso, em março de 1960. Zlatan Ibrahimovic também anotou o seu e agora tem 28 gols na Série A da Itália – cinco a mais que os concorrentes mais próximos. O sueco tem tudo para ser o primeiro jogador a ser artilheiro no país por dois clubes diferentes. No entanto, pela primeira vez desde 2003, o ex-jogador do Barcelona terminará a temporada sem ser campeão nacional, pois a Juventus – invicta em 37 rodadas – já ampliou para 28 seu recorde de títulos na Itália.