Centésimo gol de Neymar no Santos é destaque

Na análise estatística desta semana, o FIFA.com destaca os triunfos de Juventus, Porto e Zenit nos respectivos campeonatos nacionais e as marcas históricas atingidas por Neymar, Zlatan Ibrahimovic e Antonio Di Natale, além de uma épica decisão por pênaltis na Argentina.

102

gols com a camisa do Santos foi o total alcançado por Neymar no domingo, quando o craque anotou os três da vitória por 3 a 1 diante do São Paulo na semifinal do Campeonato Paulista. Em grande fase, com dez tentos só nos últimos oito jogos pelo Peixe, o atacante alcançou a marca centenária cobrando um pênalti no Morumbi. Em seguida, ampliou com um golaço e comemorou homenageando Juary, ídolo santista da década de 1970 cujos 101 gols ele acabaria superando no final do segundo tempo contra o Tricolor. O jogador da Seleção agora só precisa colocar a bola na rede mais três vezes para se tornar o maior artilheiro do time da Vila na era pós-Pelé, honra atualmente compartilhada por João Paulo e Serginho Chulapa, ambos com 104 gols marcados.

39

partidas sem perder nas competições de que participa é o novo recorde italiano estabelecido pela Juventus, que superou a marca registrada pela Internazionale em 2004/05. O clube de Turim também se tornou o primeiro da história do Campeonato Italiano a permanecer invicto nos primeiros 35 jogos de uma campanha com 20 equipes. Graças à goleada de 4 a 0 sobre o Novara, a Juve também chegou a cinco confrontos seguidos sem sofrer gols como visitante, algo que não conseguia desde 1979. Ainda na Itália, o fim de semana foi inesquecível para Zlatan Ibrahimovic, que chegou a 26 gols e superou a sua melhor marca pessoal em uma temporada da Série A, e para Antonio Di Natale, que completou 200 tentos na primeira divisão ao longo da carreira.

26

pênaltis foram necessários para encerrar a incrível série de cobranças alternadas entre Boca Juniors e Olimpo pelas oitavas de final da Copa Argentina na última quarta-feira. Os times permaneceram empatados em um gol após duas horas de futebol e levaram mais 20 minutos para definirem o resultado desde a marca da cal. O Boca acabou ganhando por 11 a 10, mas só depois que dois jogadores, o xeneize Cristian Chávez e o aurinegro Martín Rolle, erraram as suas cobranças duas vezes em uma das decisões mais dramáticas dos últimos tempos.

8

edições do Campeonato Português foram vencidas pelo FC Porto no espaço de dez anos, com a confirmação antecipada do título no último domingo. Os Dragões garantiram a taça sem jogar graças ao empate em 2 a 2 do vice-líder Benfica na visita ao Rio Ave. Esta foi a sexta vez seguida que o time de Lisboa não conseguiu ganhar longe da própria torcida, a sua pior sequência desde outubro de 2008. No dia anterior, o FC Porto havia chegado à quarta vitória consecutiva na liga, e pela quarta vez seguida sem ser vazado, ao fazer 2 a 0 no campo do Marítimo. No total, o FC Porto acumula 26 títulos do campeonato lusitano e está cada vez mais perto do recorde do Benfica, que é de 32.

5

anos se passaram desde a última vez em que a taça do Campeonato Russo foi para Moscou, uma sequência ampliada pelo bicampeonato do Zenit no sábado. Este foi o terceiro título do clube de São Petersburgo nas cinco edições mais recentes do certame e o quarto no total, considerando que a equipe se sagrou campeã soviética como Zenit de Leningrado em 1984. O bi do Rubin Kazan em 2008 e 2009 contribuiu para manter o troféu longe da capital e confirmar uma mudança notável no equilíbrio das forças, já que os times moscovitas haviam conquistado a taça nas 11 temporadas anteriores.

0

chute na meta foi o que registraram os jogadores do Manchester United na derrota de 1 a 0 para o Manchester City da última segunda-feira. Esta foi a primeira vez em quase três anos que eles passaram 90 minutos sem incomodar o goleiro adversário em jogos do Campeonato Inglês. Desde o empate sem gols em casa com o Arsenal no dia 16 de maio de 2009, o time de Alex Ferguson nunca havia deixado de chutar no alvo pelo menos uma vez em partidas da primeira divisão e, ironicamente, o ponto somado naquela oportunidade acabou sendo suficiente para assegurar o título do United. Na segunda-feira, porém, foi o City quem deixou o campo em posição de força na corrida pela taça, embora a vantagem seja apertada. Ambos os rivais estão com 83 pontos e o saldo de gols pode decidir o campeonato pela primeira vez desde que o Arsenal levou a melhor sobre o Liverpool em 1988/89. O gol da vitória marcado por Vincent Kompany pôs fim aos mais de 360 minutos que o City passou sem balançar as redes em casa contra o United na Premier League. Além disso, foi o 14º gol do time em cobranças de escanteio na temporada, a melhor marca da elite inglesa. A cabeçada do jogador belga também garantiu que a equipe do técnico Roberto Mancini encerrará a campanha com o melhor aproveitamento da liga como mandante, com 17 vitórias e um empate. Por sinal, o dono da marca nas últimas nove temporadas sempre acabou faturando o caneco.