Omã vence e enfrentará Senegal
© AFP

A seleção de Omã venceu a repescagem do pré-olímpico asiático para Londres 2012 e enfrentará o Senegal no play-off intercontinental por uma vaga no evento de futebol masculino. Em torneio disputado no Vietnã, os omanis empataram com a Síria em 1 a 1 e derrotaram o Uzbequestão por 2 a 0. A partida contra os senegaleses ocorrerá na cidade inglesa de Coventry no dia 23 de abril, na véspera do sorteio dos grupos do torneio olímpico. 

O triangular asiático foi decidido ontem em um jogo ao qual os uzbeques chegavam como favoritos, pois vinham de triunfo por 2 a 1 sobre a Síria. Até os 15 minutos, quando Waleed Abdallah foi derrubado na área, nenhuma das seleções havia tido chances reais de gol. Foi então que o capitão Hussain Al Hadhri converteu a penalidade máxima resultante e abriu o placar para o selecionado do Golfo.

O segundo gol de Omã foi marcado no último minuto do primeiro tempo por Raed Ibrahim Saleh, que recebeu a bola no lado esquerdo da área e tocou na saída do goleiro Victor Mochalov. Com dois gols de desvantagem, os uzbeques partiram para o ataque em busca do empate. Na etapa complementar, o conjunto omani aguentou firme a pressão dos rivais e, mesmo com a expulsão do meio-campista Eid Al Farsi aos 29 minutos, manteve o resultado e as chances de viajar a Londres. 

A vitória foi mais um estímulo para o técnico Paul Le Guen, que também conseguiu levar a seleção principal omani à fase final das eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. "Estou muito orgulhoso dos meus jogadores, foi um resultado merecido", afirmou o ex-treinador do Lyon e da seleção de Camarões. "Jogamos bem a primeira partida, mas esta era mais difícil, e o Uzbequistão é um bom time. Entretanto, demonstramos um estado mental superior, e a vitória por 2 a 0 mostrou um grande desempenho de nossa parte."

Al Hadhri em alta 
A campanha do Omã no pré-olímpico serviu de palco para a ascensão de Al Hadhri, que marcou oito gols até agora. Jogador ágil que pode atuar como atacante ou meia ofensivo, Al Hadhri defende a seleção principal do seu país desde 2009. No entanto, foi a brilhante exibição durante a trajetória olímpica que chamou mais a atenção da mídia e da torcida.

Al Hadhri iniciou a série goleadora no primeiro jogo do pré-olímpico diante do Tadjiquistão, contribuindo para a vitória por 3 a 1 que, na somatória geral dos dois confrontos, resultou em 7 a 2 em favor dos omanis. A seleção árabe chegou então como zebra ao embate da segunda fase contra a China, mas Al Hadhri garantiu a classificação praticamente sozinho, marcando três dos quatro gols de Omã nas duas partidas. 

Após balançar as redes adversárias no empate contra a Arábia Saudita no jogo que encerrou a terceira fase — resultado que confirmou a passagem de Omã aos play-offs continentais —, o pequenino artilheiro foi o responsável pelo primeiro tento contra a Síria, de pênalti.

"Gostaria de agradecer a Deus por esta grande vitória", disse o atleta de 21 anos após superar o Uzbequistão ."Perdemos boa chances contra a Síria na rodada inicial, mas compensamos ao marcar duas vezes contra os uzbeques e avançar um passo a mais em direção de Londres 2012. Agora precisamos nos concentrar no jogo contra o Senegal". 

Uzbeques lamentam a eliminação
A queda diante de Omã constituiu um segundo revés grave para o Uzbequistão, que, na derradeira rodada da fase anterior, perdera em casa por 3 a 2 uma partida que chegara a estar vencendo por 2 a 0 contra os Emirados Árabes — derrota que custou a perda da vaga automática a Londres. 

"Erramos muito, embora tivéssemos criado várias oportunidades antes de cometermos o pênalti", disse. "Não foi um dia de sorte para nós, mas isto não vem de hoje. Vem da nossa derrota para os Emirados Árabes em Tashkent, porque alguns jogadores não conseguiram tirar da cabeça aquela vitória que parecia garantida, mas que acabou se transformando em derrota."