Uma Espanha com forte sotaque catalão
© Getty Images

Que a Espanha se transformou em uma força dominante no futebol atual, poucos duvidam. Tampouco há dúvida quanto à importância do Barcelona para o elenco campeão do mundo. Claro que a contribuição de outros clubes também é expressiva, mas é incontestável que a Fúria foi buscar no Camp Nou a base da equipe — e a alma da sua filosofia de jogo. 

Agora, um fenômeno parecido pode estar se desenvolvendo no futebol de salão. Afinal, seis dos 14 jogadores que o país levou à Copa do Mudo de Futsal da FIFA Tailândia 2012 defendem o time azul-grená. O departamento de futsal do Barcelona também está rapidamente igualando o sucesso da sua divisão de futebol. Este ano, o Barça já faturou o segundo título nacional consecutivo e conquistou uma inédita consagração continental.

Um dos principais responsáveis pelas façanhas do clube e da seleção é Torras, que em 2012 acrescentou a artilharia do Campeonato Europeu de Futsal à sua gorda coleção de prêmios coletivos. E embora a Chuteira de Ouro transmita uma representação enganosa das funções do jogador em quadra — mais para Xavi do que para David Villa —, ela certamente reforça a crescente importância de Torras para o elenco espanhol.

Campeão do mundo em 2004, o jogador de 32 anos acredita que a seleção pode se beneficiar da confiança e do entrosamento forjados na Catalunha. "É algo muito importante para nós", diz Torras ao FIFA.com. "Ter tantos colegas que se conhecem tão bem, e que têm vivido bons momentos juntos, só pode ajudar. É fundamental conhecer bem os companheiros, confiar neles plenamente e entender o que eles vão fazer na quadra. Esta é a base de que toda equipe precisa, e temos a sorte de desfrutar disso. Mas preciso dizer que não se resume aos jogadores do Barcelona. Todos no elenco nos conhecemos bem porque jogamos juntos há bastante tempo. Todos seguimos os mesmos princípios, e sou grato por ter colegas com quem adoro jogar."

Esse prazer ficou evidente do início ao fim da partida de segunda-feira, com a brilhante vitória de 8 a 3 sobre o Panamá e uma atuação majestosa de Torras. Muito se espera dele e da equipe espanhola após a conquista do título europeu e, sendo um dos três remanescentes do grupo que venceu a Copa do Mundo de Futsal da FIFA há oito anos, o experiente ídolo do Barça está gabaritado para avaliar as chances de repetir o feito.

"Individualmente, a equipe é muito diferente das que tivemos em 2004 e 2008", aponta ele. "Os jogadores atuais têm estilos distintos dos que vieram antes, embora ambos os elencos tenham grande qualidade. Mas o mais importante para nós é que a filosofia, os princípios e a união são os mesmos. Houve uma mudança de geração, mas a vitória na Euro provou que essa mudança foi positiva. E ela também nos deu a crença de que podemos chegar à final outra vez aqui na Copa do Mundo, e tomara que para erguer a taça."

No entanto, experiente que é, Torras tem consciência de que não será tarefa fácil. "Não é só Espanha e Brasil", reconhece o espanhol. "Vejo muitas equipes com condições de ganhar o torneio: Rússia, Itália, Irã, Argentina, Portugal... todas elas, com certeza. Sabemos que vamos precisar fazer um grande Mundial para sermos campeões outra vez."