As declarações sobre as sedes e a venda de ingressos
© AFP

Para além de sua estrelada lista de equipes participantes já classificadas, a Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013™ ganhou uma imagem ainda mais definida nesta quinta-feira, quando foram reconfirmadas as seis cidades-sede da competição - Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador – e anunciados os detalhes sobre a venda dos 830 mil ingressos disponíveis para as 16 partidas.

Além do Brasil, já estão garantidos na Copa das Confederações da FIFA outros três campeões mundiais – Espanha, Itália e Uruguai -, além de México, Japão e Taiti. O representante africano será definido no início de 2013.

Num briefing para a imprensa realizado no Museu do Futebol, em São Paulo, integrantes da FIFA, do Comitê Organizador Local (COL) e do Governo Federal explicaram o sistema de venda de ingressos para o “Festival dos Campeões”, que será disputado entre os dias 15 e 30 de junho de 2013. A primeira fase de comercialização será realizada por meio do FIFA.com a partir de 3 de dezembro - dois dias após o sorteio dos grupos da competição, que acontece também em São Paulo, no Anhembi.

Após os anúncios, os representantes responderam a perguntas dos meios de comunicação. Veja o que foi dito:

José Maria Marin, presidente do COL:

“Ao tomar essa decisão, colocamos na balança o impacto que o evento tem para a economia de cada cidade e no orgulho da população. Pela primeira vez, a competição será realizada em seis cidades de um mesmo país e, também pela primeira vez, metade dos estádios serão entregues e testados na Copa das Confederações, um ano antes de uma Copa do Mundo. Podemos não ter escolhido o caminho mais fácil, mas certamente aquele que trará benefícios a mais brasileiros e o melhor para a organização das duas competições. O Brasil é conhecido no mundo todo como o país do futebol e, graças à integração de todos, mostrará que tem também competência e capacidade para organizar uma grande Copa. Vamos mostrar que o Brasil não é o país do futuro, mas o país do presente.”

Aldo Rebelo, Ministro do Esporte:

“Este anúncio configura um marco oficial da realização da Copa das Confederações da FIFA e confirma a cooperação entre a FIFA, o COL e o Estado brasileiro para o êxito desse evento. Digo ‘o Estado brasileiro’, porque se trata de uma parceria entre Governo Federal, governos estaduais e municipais. Fazemos este anúncio com a confiança no êxito da construção dos estádios. E o maior interessado no sucesso desta Copa do Mundo é o Brasil. Porque a FIFA já realizou 19 Copas e ainda realizará sabe-se lá quantas, enquanto nós tivemos essa oportunidade uma vez e a estamos tendo agora de novo. É algo de suprema importância para todos nós. Eu reafirmo que o governo brasileiro continuará empenhado com todos os seus esforços para que as medidas necessárias em todas as áreas sejam feitas para cumprir o desafio de entregar uma Copa do Mundo exemplar.”

Ronaldo Luís Nazário de Lima, membro do conselho de administração do COL:

“Queria dar os parabéns a todas as cidades-sede pela presença na Copa das Confederações da FIFA, um evento de que participei uma vez, em 1997, quando ganhamos - foi uma final contra a Austrália, um 6 a 0, com três gols meus e três do Romário. É uma competição de que os jogadores gostam muito. É a chance de ter um grande evento no Brasil antes da Copa do Mundo: afinal, vão ser, no total, 12 títulos mundiais em campo. É um grande torneio para o brasileiro assistir, mas também para dar mostra de sua hospitalidade e oferecer uma experiência inesquecível aos estrangeiros que venham nos visitar.”

Luis Fernandes, secretário executivo do Ministério do Esporte:

“A inclusão digital tem avançado enormemente no Brasil, mas ainda há setores – sobretudo entre a população idosa e a de baixa renda - com restrições no acesso regular à internet. Por isso, agora, para a Copa das Confederações, disponibilizaremos pontos públicos de acesso em 7,6 mil escolas públicas Brasil afora - num projeto conjunto do Ministério de Educação e o do Esporte, que inclui ainda parceria com as secretarias estaduais e os diretores de escolas públicas. É um processo de democratização na compra de ingressos.”

Thierry Weil, diretor de marketing da FIFA

“É a primeira vez que a Copa das Confederações da FIFA é realizada na América do Sul, e isso é especial. Em geral, trata-se de uma competição que reúne sobretudo público local, mas estamos diante de uma situação bastante única, já que falamos de um torneio de altíssimo nível e que reúne equipes como o México, que historicamente envia muitos torcedores onde quer que jogue. Dito isso, haverá ao menos 50 mil ingressos de categoria 4 reservados exclusivamente para residentes no Brasil.”

Walter de Gregorio, diretor de comunicação e assuntos públicos da FIFA:

“Estamos felizes em anunciar que duas sedes entregaram seus estádios no prazo inicialmente previsto, no final de 2012: Belo Horizonte e Fortaleza. São modelos. Agora, chegamos a um ponto de onde não voltamos. O prazo é apertado. Estamos felizes com as soluções, mas ainda estamos preocupados, porque ainda não tivemos os estádios como esperávamos. Não existe plano B, no entanto, porque estamos convencidos de que os estádios estarão prontos até 15 de abril, para que sejam realizados ao menos dois eventos-teste em cada um deles. Se não achássemos isso, não faríamos este anúncio hoje. Estaríamos mais tranquilos se todos os estádios estivessem prontos em dezembro? Claro. Mas tivemos que viver com a realidade: avaliar os riscos, o comprometimento político e os relatórios técnicos e chegar a esta decisão.”

Carlos de la Corte, CEO da Arena, empresa contratado pelo COL para o monitoramento da construção de estádios:

“Do ponto de vista técnico, a equipe da Arena e do COL atesta que é factível a entrega dos estádios para eventos-teste até o dia 15 de abril de 2013. Dito isso, concordamos que atrasos não são aceitáveis e que será necessário realizar tarefas concomitantes na construção do estádio e nas estruturas temporárias.”