Said: "Etiópia não teme nenhum favorito"
© AFP

Zâmbia e Nigéria são as favoritas do Grupo C da Copa Africana de Nações. No entanto, ambas viram na prática que confirmar este fator não será nada fácil após empatar seus jogos iniciais em 1 a 1 nesta segunda-feira, respectivamente contra Etiópia e Burkina Fasso. A Etiópia, aliás, foi um dos destaques da rodada não apenas por conseguir segurar os últimos campeões, como também por quase obter uma histórica virada. Tudo isso apresentando um currículo bem menos impressionante que os rivais.

Antes da partida contra a Zâmbia, a Etiópia entrava com números pouco animadores: além de ocupar o 110º lugar no Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola (pior classificação entre os 16 participantes do torneio), a equipe não marcava um gol na Copa Africana de Nações havia 37 anos. Quando o atacante Saladin Said perdeu uma chance clara no começo da partida e viu o goleiro zambiano Kennedy Mweene defender o seu pênalti minutos depois, tudo levava a crer que os etíopes colecionariam mais uma decepção. Para piorar as coisas, o goleiro Jamal Tassew foi expulso ainda no primeiro tempo, após uma entrada violenta no volante Chisamba Lungu.

Os zambianos fizeram valer a superioridade numérica nos descontos do primeiro tempo, quando Collins Mbesuma abriu o placar. O destino da partida parecia traçado, mas os campeões de 2012 foram castigados duramente pelas chances desperdiçadas. Said, um dos três jogadores da Etiópia que não atuam no futebol do país, deixou Adane Girma livre para empatar o jogo aos 21 minutos da etapa final.

Jogador do Wadi Degla, do Egito, Said foi escolhido o melhor em campo. Mesmo assim, ele admite que a estreia não foi fácil para a Etiópia. "Primeiro eu perdi um pênalti, e depois perdemos um jogador por cartão vermelho", lembra o atacante. "Mas a nossa seleção jogou muito bem hoje e mostrou a todos que pode encarar jogos grandes. Estamos muito felizes com esse ponto conquistado."

A última vez em que a Etiópia havia disputado a Copa Africana de Nações havia sido em 1982. Na ocasião, coincidentemente, a equipe também enfrentara Zâmbia e Nigéria na fase de grupos — com derrota diante de ambas e um empate sem gols com a Argélia, acabou logo eliminada. Agora, após este bom resultado, os compatriotas de Said sonham em ir adiante no torneio. "Não tememos Burkina Fasso e Nigéria, os nossos próximos adversários", destaca o atacante. "Grandes seleções não são problema para nós. Vamos para todo jogo com a intenção de vencer. Se vencermos o próximo, passaremos para a fase seguinte."

Corrigir os erros
O meia Fuad Ibrahim, 21 anos, jogador do Minnesota Stars (EUA), está confiante de que a Etiópia poderá corrigir os erros cometidos na estreia e, assim, jogar ainda melhor e avançar na competição. "Foi um jogo realmente bom para nós", comemora o articulador. "Todos se ajudaram e felizmente conseguimos o gol que nos deu o empate. Agora vamos voltar o foco para Burkina Fasso e, se corrigirmos os nossos erros, certamente podemos vencer."

O técnico Sewnet Bishaw, com o qual a ascendente seleção etíope vem liderando o grupo das eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA 2014, também se diz feliz com a sua equipe, valorizando especialmente o espírito de luta dos jogadores mesmo com um homem a menos em campo. "Estou feliz pelo resultado mesmo após termos perdido um pênalti", salienta Bishaw. "Os jogadores mostraram caráter e demonstraram ao mundo que podem jogar um bom futebol."

O técnico francês Hervé Renard, que comandou Zâmbia na sensacional conquista obtida no Gabão e na Guiné Equatorial no ano passado, não se mostra surpreso com o bom futebol apresentado pela Etiópia. "Disse várias vezes antes do jogo que precisávamos ter cuidado, e gostaria de parabenizar a Etiópia pelo ótimo futebol apresentado", afirma o técnico.

Os etíopes também receberam elogios do técnico nigeriano Stephen Keshi. Para ele, todas as quatro seleções do grupo têm condições de se classificar para as quartas de final. "Não há times fracos aqui, e a Etiópia mostrou que merece disputar a competição", aponta. "Este é um dos grupos mais fortes do torneio", completa o comandante da Nigéria.

Como Burkina Fasso também arrancou um surpreendente empate em 1 a 1 com os nigerianos, o grupo permanece em aberto. Todas as quatro seleções seguem vivas na briga para conquistar o título africano e assegurar um lugar na Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013.