Falcão: "Scolari tem o respeito do brasileiro"
© FIFA.com

Há cerca de duas semanas, ele causou sensação na Copa do Mundo de Futsal da FIFA Tailândia 2012 e foi um dos principais responsáveis para que o Brasil conquistasse o título mundial. Na sexta-feira, o superastro do futebol de salão Falcão fez uma visita ao presidente da FIFA. Um dia antes do sorteio oficial da Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013, o craque veio a São Paulo juntamente com Renzo Spedicato, presidente do seu clube, o Orlândia/Intelli, e conversou com o presidente da FIFA sobre o futsal e sobre a Copa das Confederações da FIFA.

Aproveitando a ocasião, o FIFA.com realizou uma entrevista com o bicampeão mundial de futsal.

FIFA.com: Foram anunciados na tarde de ontem os três nomeados para concorrer à Bola de Ouro FIFA. Quem é o seu favorito?
Falcão: Acredito que os três fizeram por merecer. Os três estão entre os melhores jogadores do planeta. O Lionel Messi e o Cristiano Ronaldo fizeram uma temporada incrível, mas considero que o Messi foi um pouquinho melhor. Pessoalmente, ficarei feliz se o meu amigo Neymar receber novamente o Prêmio Puskás pelo gol mais bonito do ano.

Outro importante anúncio de ontem foi o de que Luis Felipe Scolari será o novo treinador da seleção brasileira. Como você avalia essa decisão?
O Felipão já acumulou muitas conquistas. Ele foi campeão mundial pela Seleção em 2002, o nosso último título. Obviamente, a pressão e a expectativa no Brasil são imensas, já que o Mundial será no nosso próprio país. Mas o Scolari tem o respeito do povo brasileiro. A contratação faltando cerca de um ano e meio para a Copa do Mundo foi muito em curto prazo, mas acredito que mesmo assim ele conseguirá fazer muita coisa nesse tempo. Ele tem a confiança e o apoio dos brasileiros.

Como você avalia as chances de o Brasil conquistar o hexacampeonato mundial?
A pressão sobre a Seleção será enorme e as expectativas dos brasileiros também são imensas. O meu receio é que, se não correr tudo bem no primeiro jogo, a pressão aumente ainda mais e talvez se torne grande demais para a equipe. É preciso esperar para ver como a Seleção vai se comportar diante da sua própria torcida. O Neymar é um jogador excepcional, mas não está acostumado, como talvez outros jogadores que atuem na Europa estejam, a jogar com tanta pressão. Vamos esperar para ver como a equipe lidará com a pressão.