Blatter: "A Copa das Confederações é uma competição de alto nível"
© Getty Images

O presidente da FIFA, Joseph S. Blatter, estará presente no sorteio da Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013 a ser realizado em São Paulo no próximo sábado, 1º de dezembro. Antes disso, acompanhado do secretário geral Jérôme Valcke, ele falou sobre futebol durante uma conversa com jornalistas na capital paulista. O FIFA.com resume os principais assuntos debatidos.

Joseph S. Blatter, presidente da FIFA
Sobre a Copa do Mundo da FIFA

A Copa do Mundo da FIFA é mais que um evento esportivo, é o evento máximo a cada quatro anos. Não existe evento esportivo que possa ser comparado à Copa do Mundo em termos de audiência internacional. Este evento tem uma história, na qual o Brasil desempenhou uma parte importantíssima. Os brasileiros venceram cinco vezes, e agora vão recebê-lo. Na minha opinião, será um grande Mundial.

Sobre as seleções que participarão da Copa das Confederações da FIFA
É um presente ter semelhante reunião de grandes nomes para este torneio. Temos quatro campeões mundiais — dois da América do Sul, com Brasil e Uruguai, e dois da Europa, com Itália e Espanha. A Copa das Confederações não é somente um ensaio da Copa do Mundo, é uma competição de alto nível.

Sobre infraestrutura
Tenho certeza de que tudo estará pronto. Não é a primeira vez que estou envolvido na organização de uma Copa do Mundo da FIFA. Sempre houve problemas aqui e ali, mas no fim tivemos um grande evento.

Sobre o papel de Ronaldo no Comitê Organizador Local e a possível candidatura à presidência da CBF
Sempre fico contente quando ex-jogadores dedicam tempo e energia para trabalharem pelo futebol. É ótimo para ele estar envolvido na organização, na medida em que valoriza ainda mais a sua trajetória. Seria bom se ex-jogadores estivessem à frente das grandes federações nacionais, se trouxerem junto a experiência necessária. Com a experiência que está adquirindo através da Copa do Mundo, Ronaldo está no bom caminho.  

Sobre a imagem da FIFA e as mudanças feitas após o Congresso de 2011
Estamos em meio a um processo de reforma que iniciamos em 2011. Devemos ter mais transparência e já começamos a implementar as decisões tomadas. A única que ainda precisamos implementar é a mudança do estatuto. A família do futebol inteira está apoiando e estamos no caminho certo. O Comitê de Ética deveria estar presente em todos os níveis, ele precisa chegar às 209 federações afiliadas, daí o futebol vai poder lidar com assuntos extracampo, inclusive. Disciplina, respeito e desportividade não devem ser aplicados apenas dentro de campo, mas também fora dele.

Sobre as chances de Neymar estar, no futuro, entre os três indicados à Bola de Ouro FIFA
O futebol atual está nas grandes ligas europeias, onde se tem uma concentração de astros. Se olharmos os indicados, esse fato se mostra verdadeiro, mas é uma infelicidade para um jogador como Neymar. Os técnicos, capitães e jornalistas estão decidindo a partir de uma lista, não é fácil.

Sobre o uso da tecnologia
Temos dois sistemas precisos à disposição e os usaremos na Copa do Mundo de Clubes da FIFA deste ano. Se não houver falhas, o plano é utilizar um desses dois sistemas na Copa das Confederações do ano que vem. Vamos usar a tecnologia apenas na linha de gol, já que não queremos nenhuma outra tecnologia no campo de jogo, porque isso acabaria com o fascínio do nosso esporte.

Sobre a introdução de um Mundialito reunindo antigos campeões da Copa do Mundo da FIFA
É verdade que a FIFA organizou um Mundialito em 1981 com seis equipes, mas o calendário internacional já está sobrecarregado. Os jogadores estão disputando até 80 partidas por ano. Quando será possível para eles se recuperarem ou tirarem férias? Precisamos ser realistas, e não acrescentar mais jogos ou torneios.

Jérôme Valcke, secretário geral da FIFA
Sobre o progresso dos estádios
Temos um estádio que precisa acelerar as obras, que é o de Manaus. A data de entrega para o Mundial é dezembro de 2013. Nos outros estádios, estamos dentro do cronograma. Mas eu diria que com 99%, se não com 100%, vamos disputar a Copa do Mundo nos 12 estádios conforme o planejado.