Valcke: "É bom poder testar os estádios um ano antes"
© Getty Images

O FIFA.com destaca os principais pontos da entrevista concedida pelo secretário geral da FIFA, Jérôme Valcke, sobre a Copa das Confederações da FIFA, a Copa do Mundo da FIFA e a importante relação entre os dois torneios.

Jérôme Valcke, secretário geral da FIFA
Preparativos do Brasil para a Copa das Confederações da FIFA e a Copa do Mundo da FIFA
Os preparativos estão a pleno vapor. Criamos uma boa rotina de reuniões com o Conselho de Administração do Comitê Organizador Local a cada seis semanas. Alguns estádios estarão prontos apenas em meados de abril, o que evidentemente significa um desafio. Para a Copa das Confederações da FIFA, entretanto, isso não deve ser um problema, já que a competição não tem a mesma magnitude da Copa do Mundo da FIFA.

Número de visitantes esperados para a Copa das Confederações da FIFA e a Copa do Mundo da FIFA
É muito difícil fazer uma previsão para a Copa das Confederações da FIFA, em que o público local costuma ser mais numeroso, mas também teremos a presença de torcedores da Itália, do México e da Espanha, entre outros. Para a Copa do Mundo da FIFA, esperamos cerca de 500 mil torcedores, que deverão essencialmente acompanhar as respectivas seleções. Devemos assegurar que eles tenham as melhores condições de transporte para viajarem de uma cidade a outra de acordo com as partidas que desejam ver. Por isso, estamos trabalhando duro para garantir que a organização seja impecável.

Expectativas para a Copa das Confederações da FIFA
As pessoas muitas vezes pensam que uma partida de Copa do Mundo é como um jogo de campeonato nacional, mas as exigências que precisam ser satisfeitas para atender ao grande interesse em torno da competição são enormes. A Copa do Mundo da FIFA tem um forte poder de atração. No dia seguinte à final da Copa das Confederações, faremos um balanço do que deu certo e do que podemos melhorar. Com a ajuda da Copa das Confederações, esperamos evitar muitos problemas que possam surgir durante a Copa do Mundo.

Seis sedes na Copa das Confederações
É a primeira vez desde 2002 que teremos seis sedes. Trata-se de uma oportunidade, mas também de um desafio, já que precisaremos de mais recursos e de uma melhor infraestrutura. Mas é muito bom poder testar seis estádios da Copa do Mundo com um ano de antecedência, especialmente o Maracanã, palco das duas finais.

Oportunidades de negócios
A Copa do Mundo da FIFA 2014 está vendida. A única coisa que você ainda pode comprar são os ingressos. Os acordos de patrocínio estão praticamente fechados para 2014. Negociamos todos os seis Parceiros da FIFA para 2014. Alguns continuarão conosco até 2022 e um até 2030. Estamos perto de concluir a maior parte deles para 2018 e 2022, e é incrível constatar que, mesmo com o mundo atravessando uma crise, os valores não sofreram queda. A única dificuldade tem sido o mercado televisivo na Europa, principalmente na Espanha, já que ainda não conseguimos negociar os direitos de transmissão para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. A FIFA está com boa saúde financeira e reinveste todo o dinheiro no futebol.

Sustentabilidade
Não podemos organizar uma Copa do Mundo sem pensar em sustentabilidade. O futebol representa uma pequena parcela dos investimentos. A maior parte vai para a infraestrutura do país organizador, como telecomunicações, aeroportos e estradas. Mas também é responsabilidade nossa reduzir ao mínimo o impacto da competição no meio ambiente. Estamos fazendo investimentos para neutralizar as nossas emissões de carbono e para conscientizar as pessoas. A FIFA está aplicando 50 milhões de dólares, ao longo de quatro anos, em sustentabilidade e responsabilidade social, além dos 800 milhões de dólares que já investimos no desenvolvimento do futebol.

Desenvolvimento
Acreditamos que é dever nosso reconstruir instalações de futebol que tenham sido destruídas. Por isso, reconstruiremos o estádio de Gaza, que foi arrasado. O futebol une as pessoas e nós apoiaremos todos os esforços de reconstrução, sempre que instalações de futebol tiverem sido arruinadas em desastres.

Tecnologia
A IFAB aprovou o uso da tecnologia, limitado à linha do gol. Dois sistemas serão testados no Japão, na Copa do Mundo de Clubes da FIFA. Se os testes de instalação derem certo, o sistema à base de campo magnético da GoalRef será usado em Yokohama, enquanto em Toyota haverá a tecnologia à base de câmeras da Hawk-Eye. Após o fim do torneio, a FIFA irá analisar todos os resultados em janeiro e, no primeiro semestre de 2013, decidiremos qual sistema será utilizado na Copa das Confederações da FIFA.