O número cem é sempre uma prova da tradição de um clube. Sejam cem jogos, cem gols ou cem anos, as equipes que atingem essa marca geralmente têm muitas histórias para contar. É de se esperar, portanto, que o Borussia Dortmund e os seus milhões de torcedores sintam ainda um pouco mais de orgulho pelo time da Vestfália desde 19 de dezembro de 2009, quando a equipe comemora o seu centésimo aniversário.

Com seis títulos do Campeonato Alemão, dois da Copa da Alemanha, um da Recopa Europeia e um da Liga dos Campeões da Europa, o Borussia Dortmund é um dos clubes mais vitoriosos do país. O time, cujas cores são o amarelo e o preto, está na sexta colocação no ranking histórico da Bundesliga.

O nascimento
No dia 19 de dezembro de 1909, alguns operários das usinas siderúrgicas e das minas da cidade de Dortmund fundaram o Borussia Dortmund. O complemento "Borussia" foi escolhido em homenagem à cerveja que era servida na taberna local. Com isso, o clube recebeu o nome da cerveja favorita dos fundadores. O primeiro presidente da instituição foi Heinrich Unger.

Na década de 30, o Borussia Dortmund já havia se tornado um dos melhores times da Alemanha. Entretanto, como muitas outras equipes germânicas, foi necessária uma reconstrução quase completa das estruturas do clube após a Segunda Guerra.

Já em 1949, o Borussia chegou pela primeira vez à final do Campeonato Alemão, mas acabou perdendo por 3 a 2 para o Mannheim após a prorrogação. Em 1956, o clube chegou novamente à decisão, nesse ano contra o Karlsruher, e pela primeira vez ficou com o título alemão.

Em 1957, com a mesma escalação do ano anterior, o Borussia foi bicampeão alemão ao bater o Hamburgo por 4 a 1 na final. Em 1963, um ano antes da introdução da Bundesliga, o clube foi campeão pela terceira vez na Alemanha com uma vitória de 3 a 1 sobre o Colônia. Na primeira temporada em que o campeonato passou a se chamar Bundesliga, em 1964, a equipe ficou apenas na quarta colocação.

O crescimento
Em 1965, o Borussia chegou à sua segunda final da Copa da Alemanha e dessa vez se sagrou campeão após derrotar o Aachen por 2 a 0. No ano seguinte, o clube conquistou a Recopa Europeia vencendo a final contra o Liverpool por 2 a 1 na prorrogação, tornando-se o primeiro time alemão a conquistar um título internacional. Até hoje, permanece na memória de muitos torcedores o magnífico gol da vitória anotado por Reinhard Stan Libuda no primeiro minuto do segundo tempo extra.

Nos anos que se seguiram, entretanto, o Borussia esteve um tanto quanto apagado. Em 1972, o clube foi rebaixado para a segunda divisão e só conseguiu subir novamente em 1976. Logo que voltou para a divisão principal, o time da Vestfália mostrou toda a sua grandiosidade. A média de público no Westfalenstadion, que havia sido construído recentemente, foi superior a 40 mil espectadores por partida. Um público muito maior do que o de todos os outros clubes alemães.

No início dos anos 80, o clube passou por sérias dificuldades financeiras, e o departamento de futebol também entrou em crise. Na temporada 1985/86, o Borussia precisou até mesmo disputar uma repescagem contra o Fortuna Köln, para decidir quem disputaria a segunda divisão no ano seguinte, mas conseguiu permanecer na elite do futebol germânico. No final da década, o time finalmente voltou a conquistar um título. O adversário na final da Copa da Alemanha foi o Werder Bremen, que acabou derrotado por 4 a 1. Foi o primeiro título do Borussia em 23 anos e a sua segunda Copa da Alemanha.

A década de 90, por sua vez, acabou sendo a mais gloriosa da história do clube. Em 1991, o Borussia contratou um técnico até então relativamente inexperiente, chamado Ottmar Hitzfeld. Em 1995, após 32 anos, a equipe de Dortmund voltou a vencer o Campeonato Alemão e no ano seguinte foi campeã novamente. O Borussia voltou a ter sucesso também no futebol internacional. Em 1997, o time venceu por 3 a 1 a final da Liga dos Campeões da UEFA contra a Juventus de Turim e ficou também com o título da Copa Intercontinental ao derrotar o Cruzeiro por 2 a 0 em Tóquio. À época, o clube servia como base para a seleção alemã que conquistou a Euro 1996, já que contava com astros como Stefan Reuter, Jürgen Kohler, Matthias Sammer, Steffen Freund e Andreas Möller.

O presente
Infelizmente, o sucesso não se manteve por muito tempo. Após a saída do técnico Hitzfeld e a aposentadoria de vários jogadores mais experientes, o clube investiu para contratar novos astros, mas não conseguiu repetir as façanhas dos anos anteriores. A temporada 1999/2000 foi a pior desde então, e o clube escapou por pouco do rebaixamento.

Entretanto, depois da tempestade veio a bonança para aquele que foi o primeiro clube alemão a lançar as suas ações na bolsa de valores. Em 2002, com o técnico Mathias Sammer e o artilheiro brasileiro Amoroso, o Borussia conquistou o seu sexto campeonato alemão e ficou na segunda colocação da Copa da UEFA, atual Liga Europa, perdendo para o Feyenoord por 3 a 2 na final.

Até os dias de hoje, essa foi a última grande conquista do Borussia Dortmund. Em 2007, a equipe chegou a sonhar com o título da Copa da Alemanha, mas perdeu por 2 a 1 na final para o todo-poderoso Bayern de Munique na prorrogação. No entanto, ao observar de perto a história do clube da Vestfália, fica claro que não deve demorar muito para que o Borussia volte a conquistar títulos, tanto na Alemanha como internacionalmente.

O estádio
O estádio Signal Iduna Park (chamado de Westfalenstadion até dezembro de 2005) é a casa do Borussia. A arena, que costuma ficar lotada com cerca de 80 mil espectadores, tem a melhor média de público da Alemanha. Além disso, uma lista dos dez estádios mais bonitos do mundo recentemente elaborada pelo jornal britânico The Times, coube ao Signal Iduna Park a primeira posição.

O estádio foi construído entre 1971 e 1974 para a Copa do Mundo da FIFA Alemanha 1974 (quatro jogos) e, desde 1995, passou por algumas reformas para ser ampliado. Na Copa do Mundo da FIFA 2006, foram realizadas seis partidas no complexo esportivo, entre elas a semifinal entre a anfitriã Alemanha e a Itália, que acabou conquistando o título mundial.