O Fluminense é um experiente, simbólico e particular representante do futebol brasileiro. O FIFA.com traz para você a incomparável história do terceiro clube mais antigo do país e o mais velho do Rio de Janeiro, cuja patriótica e apaixonada torcida já comemorou mais de dez mil gols — espetaculares, chorados ou mesmo extravagantes.

Os primeiros passos
Nascido no Rio e filho de um diplomata inglês, Oscar Cox estudava na Suíça quando pôs na cabeça a ideia de criar um clube de futebol na sua cidade natal. Realizou o sonho no dia 21 de julho de 1902. Três meses mais tarde, o Fluminense Football Club estreou arrasando o Rio FC por 8 a 0.

A equipe adotou o seu tradicional manto listrado nas cores verde, branco e grená já em 1904 e venceu o seu primeiro Campeonato Carioca dois anos depois. Novos títulos estaduais se seguiram em 1907, 1908 e 1909 — este, dividido com o Botafogo, o que provocou forte controvérsia.

No entanto, a rivalidade mais intensa nasceria depois da conquista do Carioca de 1911. Naquele ano, nada menos do que nove jogadores campeões pelo Fluminense debandaram e se uniram ao Flamengo. Caso James Calvert e Oswaldo Gomes tivessem acompanhado o grupo, a continuidade do clube teria provavelmente sido repensada. Porém, ambos ajudaram na sobrevivência do Tricolor carioca e no triunfo por 3 a 2 no primeiro Fla-Flu da história, em 1912.

A consagração de um mito
Harry Welfare, um robusto ex-atacante do Liverpool, ajudou o Fluminense a se consolidar graças aos 163 gols que fez em 166 jogos. Com ele, o clube chegou ao tricampeonato entre 1917 e 1919. Mais tarde, após um período de vacas magras nas décadas seguintes, o Flu conquistou cinco dos seis estaduais entre 1936 e 1941. O encanto e o sucesso daquela equipe se deveram principalmente aos talentos do meia-armador Romeu, do ala-direita Pedro Amorim, do atacante Preguinho e principalmente do meia-esquerda responsável pela criação, Tim, para quem as jogadas extraordinárias eram algo quase instintivo.

Outros nomes ilustres brilharam nas Laranjeiras ao longo das três décadas que se seguiram, entre eles o goleiro Castilho, o meia Didi, o ponta-direita e futuro técnico da Seleção Telê Santana e o atacante Waldo, ainda hoje o maior artilheiro do Flu, com 314 gols em 403 jogos. No entanto, se aquele foi um período de êxitos moderados, a década de 1970 acabou sendo a mais fértil da história do clube. Começou com o primeiro título nacional da equipe e terminou com quatro troféus estaduais. Foram anos coroados pelos dribles impensáveis e as patadas cheias de efeito de Rivelino, considerado o maior jogador da história do Fluminense.

As defesas de Félix, o dinamismo do volante Denílson e os gols de Mickey marcaram a conquista do Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1970, hoje equiparado ao título do Brasileirão. Na sequência, o Fluminense ganhou os Cariocas de 1971 e 1973 com uma equipe cuja média de idade era de apenas 24 anos. Os craques Zé Maria, Zé Roberto, Kléber, Rubens Galaxe e o excepcional Pintinho em breve receberiam a companhia de Rivelino, que mesmo aos 29 anos ainda estava no auge, mas curiosamente nunca havia conseguido ganhar um título importante pelo seu ex-clube, o Corinthians.

Essa história mudou com a chegada de "Riva" ao Rio de Janeiro. Nos três anos que passou no Fluminense, fez 158 jogos e 53 gols e ganhou os Cariocas de 1975 e 1976 — anos em que o clube também alcançou as semifinais do Campeonato Brasileiro. A essa altura, o Flu já era conhecido como a "Máquina Tricolor". As provocações dos rivais, que chegaram a chamá-lo de "timinho", desapareceram. Rivelino fez surgir o "Fluzão".

A saída de "Riva" em 1978 deu início a um lento declínio. Porém, a conquista do Estadual de 1983 — graças ao gol de Assis contra o Flamengo, o único do jogo, quando faltavam 15 segundos para o apito final — anunciou que o clube voltava a se reerguer e estava prestes a realizar um feito notável.

E essa façanha não tardou. Veio sob a forma do título do Brasileirão de 1984, devido em grande parte aos gols do "Casal 20", a dupla de ataque formada por Assis e Washington. Mesmo com uma grande diferença de idade e altura — Washington era oito anos mais novo e consideravelmente mais alto —, os dois mostravam um entrosamento quase telepático e, juntos, eram irresistíveis. Outras peças significativas daquela conquista foram o técnico Carlos Alberto Parreira, o goleiro Paulo Vítor, o zagueiro Ricardo Gomes, o lateral-esquerdo Branco e o atacante paraguaio Romerito.

Já a década de 1990 poderia ser apagada da história do Fluminense, à exceção de uma única noite de fortes emoções no Maracanã. No dia 25 de junho de 1995, Renato Gaúcho marcou aquele que possivelmente é o gol mais famoso de todos os Campeonatos Cariocas: uma barrigada no fim do jogo contra o Flamengo, que deu ao Flu o seu primeiro título em dez anos.

No entanto, a alegria durou pouco. A agonia do rebaixamento para a Série B nacional se abateu sobre o clube em 1998. Para piorar, no ano seguinte veio a humilhação da queda para a terceirona.

A situação na atualidade
O Fluminense começou o novo século ressurgindo na elite do futebol brasileiro e, depois de campanhas inexpressivas, ganhou a Copa do Brasil 2007, o que valeu ao clube a vaga na Libertadores 2008. Inspirado por Thiago Silva e Thiago Neves, o Tricolor carioca pegou o São Paulo nas quartas de final do torneio continental. Um gol de Washington no finzinho do jogo de volta salvou o clube da eliminação. Na semifinal, foi a vez de o então campeão Boca Juniors se render ao Flu, que dolorosamente perdeu a decisão do torneio continental nos pênaltis para a LDU do Equador. A recuperação definitiva viria em 2010, com mais um título brasileiro para o clube, logo ratificado pelo tetracampeonato nacional, em 2012.

O estádio
O Estádio das Laranjeiras foi inaugurado em 1905 e, no 12º aniversário do clube, recebeu o jogo de estreia da Seleção Brasileira: uma vitória por 2 a 0 no amistoso contra o clube inglês Exeter City. Foi reinaugurado no seu formato atual em 1919, mas ao longo dos anos teve a capacidade reduzida de 32 mil para oito mil pessoas. Por conta disso, o Tricolor carioca manda as suas partidas no Maracanã.