Rogge é condecorado com o Prêmio Presidencial
© AFP

Jacques Rogge está mais do que acostumado a cerimônias de premiação. Como presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) durante mais de uma década, ele entregou dezenas de medalhas de ouro, prata e bronze aos melhores atletas do mundo. Mas o belga também tem vasta experiência quando se trata de receber condecorações.

Homenageado em diversos países e nas mais variadas áreas de atuação ao longo da carreira, o ex-dirigente do movimento olímpico, de 72 anos, pode agora acrescentar uma nova linha ao currículo. Por todos os seus serviços prestados ao esporte de uma maneira geral, tanto na esfera esportiva em si quanto no âmbito administrativo, Jacques Rogge recebeu nesta segunda-feira, 13 de janeiro de 2014, o Prêmio Presidencial da FIFA 2013 durante a cerimônia de gala da Bola de Ouro FIFA 2013, realizada no Palácio do Congresso, em Zurique.

"Em tempos difíceis para o COI, sua direção frugal, inteligente e humilde levou o movimento olímpico a uma era fascinante, que teve como pontos altos os Jogos de Salt Lake City, Atenas, Turim, Pequim, Vancouver e Londres", declarou Joseph S. Blatter antes de receber Rogge no palco. "Ele trabalhou incansavelmente para defender a integridade do esporte internacional, combater o doping e promover novidades, como a inclusão do snowboard e do BMX nos Jogos Olímpicos. Além disso, criou as Olimpíadas da Juventude."

Uma vida dedicada ao esporte
Sucessor de Juan Antonio Samaranch na presidência do COI a partir de 2001, Rogge ocupou o cargo até 2013, após ter galgado um a um os degraus da administração esportiva. Chefe de delegação nas Olimpíadas de Inverno de Innsbruck 1976 e Calgary 1988, bem como nos Jogos de Verão de Moscou 1980, Los Angeles 1984 e Seul 1988, ele foi ainda presidente do Comitê Olímpico Belga entre 1989 e 1992 e dirigiu os Comitês Olímpicos Europeus. Entrou para o COI em 1991 e tornou-se membro do Conselho da Agência Mundial Antidoping em 1999.

Antes de exercer tantas funções importantes na administração esportiva, Rogge já havia construído uma carreira exemplar na medicina. Formado pela Universidade de Gand, especializou-se em cirurgia e em medicina esportiva, trabalhando como cirurgião ortopédico e dando aulas de medicina esportiva na Universidade Livre de Bruxelas e na Universidade de Gand.

Além de ter consagrado boa parte da vida à saúde dos atletas, Rogge foi ele próprio um atleta de sucesso. Como skipper, competiu na classe Finn do iatismo nas Olimpíadas de 1968, 1972 e 1976 e foi campeão belga 16 vezes. Também foi um assíduo praticante de rúgbi, tendo disputado dez partidas pela seleção da Bélgica e conquistado um título nacional com o ASUB Waterloo.

Trata-se, portanto, de uma vida inteira dedicada ao esporte e ao seu progresso. "Ele recolocou o movimento olímpico num caminho correto e seguro para o futuro, e com isso deu um exemplo a todos nós", acrescentou Blatter sobre Rogge, que também foi condecorado pelo rei da Bélgica em 2002 e agraciado na França com a Legião da Honra em 2011.

Na galeria de homenageados do Prêmio Presidencial da FIFA, Rogge sucede a Franz Beckenbauer, que recebeu a distinção em 2012.