Messi e Sawa são os donos da festa
© Getty Images

Zurique voltou a ser a capital mundial do futebol nesta segunda-feira, 9 de janeiro de 2012, para sediar a cerimônia de gala da Bola de Ouro FIFA. Na ocasião, foram premiados os homens e mulheres que mais brilharam em 2011.

O futebol se encontrou com o glamour em uma festa que teve a presença das figuras mais relevantes da modalidade e que confirmou que Lionel Messi segue sendo o indiscutível rei do futebol mundial. Entretanto, ele teve uma companheira diferente no alto do pódio, já que a japonesa Homare Sawa levou pela primeira vez a estatueta entre as mulheres. Outro destaque ficou por conta do brasileiro Neymar, que recebeu o Prêmio Puskás da FIFA pelo gol mais bonito de 2011. Entre os treinadores, o japonês Norio Sasaki, campeão da Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011, levou o prêmio do futebol feminino, e teve como companheiro o técnico de Messi no Barcelona, Josep Guardiola.

Após uma animada abertura a cargo da cantora Tinkabelle, que interpretou The Man I Need, foi a vez das boas vindas dos anfitriões do evento: o presidente da FIFA, Joseph S. Blatter, e o diretor executivo da France Football, François Morinière. A seguir, o ex-jogador Ruud Gullit e a jornalista Kay Murray retomaram o comando do evento e deram lugar a uma montagem em que foram relembrados os melhores momentos de uma ocasião histórica: a Copa do Mundo Feminina da FIFA 2011. A canadense Christine Sinclair e a alemã Kim Kulig subiram ao palco para dividirem as suas experiências e promoverem a campanha Live your Goals, que incentiva a prática do futebol entre as meninas.

Antes da entrega dos prêmios, foram repassados os momentos mais emocionantes do ano passado e apresentados os candidatos às principais distinções da noite. Em seguida, o ex-jogador francês Christian Karembeu recebeu os autores dos três gols finalistas do Prêmio Puskás da FIFA e os convidou a defenderem as suas obras primas já que a votação estava entrando na reta final.

Depois foi a vez de o talento subir ao palco e a plateia aplaudir os onze jogadores que formaram a Seleção Mundial da FIFA/FIFPro: Iker Casillas, Daniel Alves, Gerard Piqué, Nemanja Vidić e Sergio Ramos; Xabi Alonso, Xavi e Andrés Iniesta; Cristiano Ronaldo, Wayne Rooney e Lionel Messi. Pelé entregou os prêmios e aproveitou para reiterar um convite antecipado por todo o planeta: "Quero convidar a todos do mundo do futebol para a Copa do Mundo da FIFA de 2014. Nesse ano, o Brasil será a sua casa."

Um deles seria o próprio "Sir" Alex Ferguson, que se emocionou com a homenagem de todos os presentes ao receber o Prêmio Presidencial da FIFA das mãos do presidente Blatter. "Eu tenho muita sorte de poder ter realizado tudo isso e feito aquilo que é mais importante: ter lutado para ganhar. Sempre", disse o treinador escocês, que ultrapassou a marca de 25 anos no comando do Manchester United.

De maneira apropriada, a condecoração seguinte também foi entregue a um estrategista: Norio Sasaki, escolhido o Técnico do Ano da FIFA na categoria futebol feminino graças à incrível campanha da seleção japonesa rumo ao título inédito da Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011. O prêmio foi entregue pelo ex-craque alemão Lothar Matthäus, que também teve a honra de revelar o nome do Técnico do Ano da FIFA na categoria futebol masculino, para o multicampeão Josep Guardiola, do Barcelona. "Sou um dos técnicos apaixonados por esse esporte, e quero dedicar aos apaixonados que ajudaram a montar, ao longo de mais de cem anos, um grandíssimo clube como o Barcelona ", disse Pep, dono de 13 títulos à frente do clube catalão - o último deles em dezembro, na Copa do Mundo de Clubes da FIFA Japão 2011. "E, além do mais, dedico o troféu a meu assistente amigo Tito Vilanova, que não pôde estar aqui hoje."

Chegou então o momento de encerrar a votação de melhor gol do ano. Enquanto os votos eram totalizados, foi entregue o Prêmio FIFA Fair Play. Representando a Federação Japonesa de Futebol, o presidente Junji Ogura recebeu a estatueta que homenageou a excepcional recuperação após o terremoto e o tsunami que assolaram uma importante parte do país no dia 11 de março de 2011. A tragédia não impediu que os japoneses organizassem uma brilhante Copa do Mundo de Clubes da FIFA em dezembro. Antes disso, as nipônicas haviam conquistado o título mundial na Alemanha 2011 e agradecido o apoio da família do futebol a cada partida.

Os prêmios mais esperados
Para entregar o Prêmio Puskás da FIFA de melhor gol do ano, foi chamada uma autoridade na matéria. O ex-atacante Hugo Sánchez, inesquecível goleador mexicano, revelou o vencedor escolhido por mais de 1,3 milhão de internautas nos últimos meses: o jovem craque Neymar. "Estou muito feliz por estar participando desta festa e concorrendo com dois grandes craques de quem sou fã. Muito obrigado", disse o autor do gol mais bonito de 2011, no jogo épico entre seu Santos e o Flamengo, na Vila Belmiro, que acabou com vitória dos cariocas por 5 a 4.

Após o cantor James Blunt reduzir a tensão ao ritmo de Stay the Night, a cantora colombiana Shakira e o presidente Blatter subiam ao palco para a abertura do envelope do prêmio de Jogadora do Ano da FIFA 2011. A ganhadora, a capitã da seleção japonesa Homare Sawa, não pôde esconder a emoção em meio à timidez ao receber o terceiro prêmio para o Japão na noite.

Perto das 20h em Zurique, havia chegado o momento de a rainha conhecer o rei. Foi justamente o brasileiro Ronaldo, maior artilheiro da história da Copa do Mundo da FIFA e três vezes escolhido o melhor do mundo pela entidade máxima do futebol, que, após receber o aplauso do público, chamou o craque Lionel Messi para lhe entregar a Bola de Ouro FIFA 2011, seu terceiro troféu de melhor do mundo consecutivo. "É o terceiro, e a honra é a mesma. Queria muito compartilhar o prêmio com meus companheiros do Barcelona e da seleção argentina, porque sem eles não teria chegado nem às duas conquistas anteriores, nem a esta. E especialmente a Xavi, com quem estou competindo por este prêmio pela quarta vez. É uma honra", declarou o vencedor. "Agora esperamos que venha mais um ano de conquistas para o Barça e para a argentina." A ovação a Messi se prolongou para homenagear todos os premiados, que subiram juntos ao palco para fecharem em grande estilo uma cerimônia inesquecível.