Há oito anos, a FIFA lançou o programa Football for Hope com o objetivo de proporcionar mudanças positivas no cotidiano dos jovens através do esporte mais popular do planeta. Foram fornecidos financiamento, treinamento e equipamento nos quatro cantos do mundo a fim de ajudar o máximo de pessoas a encontrar um caminho melhor em suas vidas. Desde 2005, a FIFA apoiou mais de 250 programas em cerca de 60 países, abordando uma série de questões importantes, desde a conscientização sobre os riscos do HIV/AIDS à resolução de conflitos.

Determinada a deixar um legado social tangível para a África do Sul 2010, a FIFA lançou a campanha "20 Centros para 2010" ainda em 2007. A iniciativa tinha como meta a construção de 20 Centros Football for Hope dedicados à educação, à saúde pública e ao futebol em toda a África. A grande importância desse legado está na dura realidade de que muitas comunidades do continente continuam a sofrer graves problemas sociais.

Com a inauguração oficial do Centro Football for Hope de Alexandra no país anfitrião da Copa do Mundo da FIFA 2010, a FIFA está muito próxima de concluir essa campanha de legado regional. Mas esse não é o fim da história.

Graças a essa iniciativa, os centros já puderam melhorar os serviços de educação e saúde para mais de 70 mil jovens de comunidades carentes em 16 países da África. Nos próximos anos, outras centenas de milhares de meninos e meninas poderão ser beneficiados pelos centros, numa prova evidente do poder do futebol como instrumento de desenvolvimento social.

"Antes de existir o Centro Football for Hope, a maioria das crianças ficava vagando pelas ruas", disse um consultor sanitário de um dos centros do programa. "Mas depois que ele foi construído, não há mais tantos meninos perambulando por aí."

"O centro é um lugar onde eles podem aprender sobre saúde e segurança. Alguns vêm aqui em busca de ajuda com o dever da escola, outros para passar o tempo, fazer artesanato, aprender xadrez... Isso aqui acabou se tornando muito mais do que um simples centro de saúde."

O orgulho da comunidade
O envolvimento e a aprovação da comunidade é fundamental para o sucesso e a sustentabilidade dos centros. Por isso, as comunidades locais são chamadas a participar de todo o processo, desde o primeiro passo, envolvendo-se com o projeto arquitetônico do centro e sua construção. Além disso, sempre que possível, trabalhadores locais são recrutados e programas de capacitação, fornecidos. Mais de 600 pessoas das comunidades foram treinadas para ministrar os programas, ao passo que 60 administradores, educadores e profissionais de saúde foram contratados para trabalhar nos centros em tempo integral.

Cada centro é composto por um edifício com salas destinadas aos programas de conscientização e aos serviços de saúde pública; escritórios; um espaço comum para reuniões da comunidade; e um pequeno campo de grama sintética.

"A FIFA sente paixão em aproveitar a popularidade do futebol para melhorar a vida dos jovens", disse o presidente da FIFA, Joseph S. Blatter. "Como o futebol tem se tornado cada vez mais um catalisador econômico e social no mundo, é fundamental garantirmos que ele cumpra seu papel na construção de um futuro melhor para todos."

Os 20 centros estão localizados em Bujumbura (Burundi), Bamako (Mali), Santiago (Cabo Verde), Cape Coast (Gana), Mamfe (Camarões), Adis Abeba (Etiópia), Lubumbashi (República Democrática do Congo), Nairóbi (Quênia), Kigali (Ruanda), Iringa (Tanzânia), Manica (Moçambique), Windhoek (Namíbia), Ramotswa (Botsuana), Luveve (Zimbábue), Maseru (Lesoto), Khayelitsha, Alexandra, Qwaqwa, Mogalakwena e Edendale (todos na África do Sul).

Você pode ler o relatório completo do Football For Hope (em formato PDF) clicando AQUI.