Presidentes da FIFA
© AFP

Desde a sua fundação em 1904 até os dias de hoje, a FIFA teve oito presidentes. Do francês Robert Guérin ao suíço Joseph S. Blatter, passando por Jules Rimet, pai da Copa do Mundo da FIFA, cada presidente cumpriu o seu papel para o desenvolvimento do esporte das multidões.

Robert Guérin, França, 1904 a 06
Nascido em 1876, falecido em 1952
O francês Robert Guérin foi o impulsor e o responsável pela fundação da FIFA em 1904. Jornalista do periódico Le Matin, ele esteve envolvido ativamente com o futebol por ser secretário do Departamento de Futebol da União das Sociedades Francesas de Esportes Atléticos. Ele reuniu os sete países-membros originais em Paris para a assinatura da ata de fundação da FIFA e a definição do primeiro estatuto da entidade. Em 22 de maio de 1904, com apenas 28 anos, foi nomeado presidente no primeiro Congresso da entidade. Nos dois anos de mandato, Guérin conseguiu a adesão de mais oito federações, entre elas a inglesa.

Daniel Burley Woolfall, Inglaterra, 1906 a 18
Nascido em 1852, falecido em 1918
Administrador da Federação Inglesa de Futebol, nascido em Blackburn, Daniel Burley Woolfall foi eleito presidente em 4 de junho de 1906. Uma meta importante durante a sua presidência foi a unificação internacional das regras, e ele desempenhou um papel relevante para a redação da nova constituição da FIFA. Com Woolfall, a aplicação das regras conforme o padrão inglês passou a ser obrigatória em todo o mundo, e os jogos de seleções ganharam uma definição mais clara. Ele ajudou a organizar a primeira competição internacional de futebol de renome, os Jogos Olímpicos de 1908 em Londres. Também incorporou à FIFA os primeiros membros não europeus (África do Sul, Argentina, Chile e Estados Unidos). O mandato foi interrompido pelo início da Primeira Guerra Mundial e encerrado com a sua morte em agosto de 1918.

Jules Rimet, França, 1921 a 54
Nascido em 1873, falecido em 1956
(nomeado presidente honorário da FIFA em 21 de junho de 1954)

A troca de nome do troféu da Copa do Mundo da FIFA em homenagem a Jules Rimet em 1946 foi um reconhecimento do trabalho do francês, que celebrava o seu 25º ano na presidência, para o estabelecimento daquela que logo que se tornou a maior competição esportiva mundial. Inspirado pelo sucesso do Torneio Olímpico de Futebol, Rimet foi o grande promotor da criação da Copa do Mundo da FIFA em 1930. O objetivo principal foi a reaproximação das nações por meio do esporte após o final da Primeira Guerra Mundial. Ele supervisou a organização das cinco primeiras edições antes de entregar o seu "troféu" pela última vez ao capitão da Alemanha Ocidental Fritz Walter em junho de 1954. No mesmo mês, o então octogenário encerrou o seu longo mandato, durante o qual a FIFA passou de 20 a 85 federações afiliadas e nomeou o seu primeiro presidente honorário.

Rodolphe William Seeldrayers, 1954 a 55
Nascido em 1876, falecido em 1955

Advogado de Bruxelas, Rodolphe William Seeldrayers foi um esportista de sucesso na juventude, tendo conquistado o Campeonato Belga com o Racing da sua cidade, mesmo clube do qual ainda seria presidente. Como administrador esportivo, ajudou a fundar a Federação Belga de Futebol e fez parte do Comitê Olímpico Internacional. Na FIFA, foi vice-presidente por 27 anos antes de suceder Jules Rimet, grande camarada seu. Seeldrayers foi presidente durante a Copa do Mundo da FIFA 1954 e também presidiu as comemorações do 50º aniversário da entidade no mesmo ano. Ele morreu no decorrer do seu mandato, em 7 de outubro de 1955.

Arthur Drewry, Inglaterra, 1955 a 61
Nascido em 1891, falecido em 1961
Arthur Drewry foi presidente interino por seis meses até assumir o cargo nas eleições de 1956. Ao lado de Stanley Rous, havia apoiado os esforços de Jules Rimet para reincorporar as federações britânicas à FIFA em 1946. Também havia sido presidente da Liga Inglesa de Futebol e da Federação Inglesa de Futebol. Em meio ao seu mandato de quase cinco anos, até o falecimento aos 70 anos em 25 de março de 1961, Drewry supervisou a Copa do Mundo da FIFA 1958 na Suécia.

Sir Stanley Rous, Inglaterra, 1961 a 74
Nascido em 1895, falecido em 1986
(nomeado presidente honorário da FIFA em 11 de junho de 1974)

Sir Stanley Rous já havia dado uma bela contribuição ao futebol dentro e fora de campo antes de assumir a presidência da FIFA. Árbitro de renome internacional, chegou a dirigir a final da Copa da Inglaterra e 36 partidas de seleções. Nomeado secretário da Federação Inglesa em 1934, havia participado da redação das novas regras do futebol em 1938 e utilizado a sua paciente diplomacia para pavimentar o caminho de volta das nações britânicas à FIFA em 1946. Rous recebeu o título de "Sir" em 1949 pelo trabalho em prol dos Jogos Olímpicos de Londres no ano anterior e do esporte em geral. Ao assumir o cargo em 1961, foi o terceiro inglês presidente da FIFA. Durante o seu mandato, a Copa do Mundo da FIFA se transformou em um espetáculo televisivo de sucesso, passando a ser transmitida em cores a partir do México 1970. Quatro anos antes, Rous testemunhou o título mundial inglês conquistado no próprio país.

João Havelange, Brasil, 1974 a 98
Nascido em 1916
(nomeado presidente honorário da FIFA em 8 de junho de 1998)
O Dr. João Havelange foi presidente da FIFA durante 24 anos, comandando um período de profundas mudanças na organização. Nadador e jogador de polo aquático olímpico quando jovem, Havelange se destacou como administrador de futebol pelo aumento do número de participantes da Copa do Mundo da FIFA de 16 para 32, pela criação de novas competições (os Mundiais Sub-17 e Sub-20 no final da década de 80; a Copa das Confederações da FIFA e a Copa do Mundo Feminina da FIFA no início da década de 90) e pela maior participação de seleções da Ásia, África, CONCACAF e Oceania, regiões que juntas haviam tido apenas três vagas na Copa do Mundo da FIFA 1974. O número de funcionários da sede da FIFA em Zurique passou de 12 para quase 120 em função das maiores responsabilidades comerciais e de organização.

Joseph S. Blatter, Suíça, 1998 até o momento
Nascido em 1936

Joseph S. Blatter já trabalhava na FIFA havia 23 anos quando assumiu a presidência do órgão máximo do futebol mundial em 8 de junho de 1998. Ex-jogador de futebol amador, inicialmente foi diretor técnico de programas de formação, ajudando a assentar os alicerces de futuros torneios femininos e de base. Trabalhou em conjunto com João Havelange como secretário-geral por nove anos antes passar a CEO, com importante papel na organização de cinco edições da Copa do Mundo da FIFA entre 1982 e 1998. O suíço também foi a força motriz da duradoura parceria da FIFA com as Aldeias Infantis SOS, que começou em 1994, e desde a sua eleição levou mais longe o alcance humanitário da entidade, formando uma aliança com a UNICEF. Reeleito para um segundo mandato em 29 de maio de 2002, Blatter expandiu as competições da FIFA, desenvolvendo a Copa do Mundo de Clubes da FIFA e introduzindo novos Mundiais de beach soccer e futsal. Foi reeleito para um quarto mandato no dia 1º de junho de 2011.