Blatter satisfeito com progressos na Mauritânia

Enquanto todos os olhares se voltam à África do Sul, onde está sendo realizada a Copa Africana de Nações 2013, o presidente da FIFA, Joseph S. Blatter, deu início a uma visita técnica de seis dias pela África, com a primeira parada na Mauritânia.

Longe dos holofotes da maior competição do continente, e mais de dois anos depois da primeira Copa do Mundo da FIFA em solo africano, Blatter se volta mais uma vez aos programas de desenvolvimento da organização que dirige o futebol mundial em países menos afortunados.

Trata-se de uma ação de pouca visibilidade, mas que se encontra no cerne do trabalho realizado pela FIFA e que foi possível graças ao sucesso do Mundial. "Quando decidimos realizar a Copa do Mundo na África, tivemos de superar a rejeição de diversas pessoas que diziam que o evento seria um fracasso", declarou Blatter durante a visita. "No fim, o torneio foi um sucesso sem precedentes, e isso nos permitiu pela primeira vez oferecer um bônus a todas as federações afiliadas."

Particularidades
Em Nouakchott, capital da Mauritânia, o presidente Blatter pôde observar o impacto do PERFORMANCE, novo programa de gestão da FIFA que visa oferecer ferramentas para que as federações possam atingir o máximo de seu potencial. A entidade máxima do futebol fornece especialistas em diversas áreas a suas afiliadas. Entre elas, estão governança, gestão e finanças, passando ainda por comunicação, marketing e suporte técnico.

No caso da Mauritânia, o foco principal foi dado à comunicação, mais particularmente à produção audiovisual. "Temos agora uma unidade de produção televisiva, uma das primeiras do gênero na África", explica o presidente da Federação Mauritana de Futebol, Ahmed Ould Yahya. "Assinamos um contrato com a rede de televisão nacional e transmitimos partidas todas as semanas. Isso gera visibilidade ao futebol e muda consideravelmente a imagem deste esporte no país."

A visita, que teve como uma das finalidades testar as novas instalações, contou com entrevista exclusiva de Joseph S. Blatter à apresentadora do noticiário nacional no estúdio da FMF. Na oportunidade, o presidente da FIFA destacou, sobretudo, a importância que a entidade vem dando ao futebol feminino.

Quem também falou sobre o assuntou foi o consultor do programa PERFORMANCE Diamil Faye, que explicou como faz para adaptar seus métodos às particularidades de cada país. Na Mauritânia, por exemplo, foi necessário considerar o fato de que orações podem ser realizadas nos intervalos dos jogos e que é necessário prever o licenciamento de distribuidores oficiais de chá.

Não vamos mudar o mundo, mas podemos preparar um futuro melhor para os jovens.
Joseph S. Blatter, presidente da FIFA

Futuro melhor
É em nações como a Mauritânia que o auxílio de desenvolvimento da FIFA ganha mais sentido, sendo que a maioria dos projetos dentro do universo do futebol nesses últimos anos foi financiada, em grande parte, pela entidade que dirige a modalidade. A visita de Blatter serviu também para que fosse inaugurada a nova ampliação da sede e o centro técnico da federação, assim como dois campos oficiais, entre eles o do Estádio Olímpico Nacional.

Em um país que sai de um período difícil — a seleção nacional não chegou sequer a participar das eliminatórias para a Copa Africana e o Brasil 2014 —, os projetos financiados pelos programas Goal representam uma ajuda particularmente oportuna, que ataca em especial a formação e a estrutura oferecidas aos jovens.

"Queremos construir sobre bases sólidas", garante Yahya. "Nossa escolinha nacional nos permitirá produzir grandes jogadores no futuro. O objetivo é recolocar a Mauritânia entre os cem primeiros do Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola e classificar a seleção para uma competição de grande porte, como a Copa Africana." Os primeiros sinais dessa renovação já puderam ser vistos na recente vitória sobre a Libéria, em jogo válido pelo Campeonato Africano de Nações.

Outro ponto alto da visita foi a reunião entre Blatter e o primeiro-ministro mauritano, Moulaye Ould Mohamed Laghdaf, que esteve acompanhado da ministra da Cultura, Juventude e Esportes, Cissé Mint Cheikh Ould Boide. Após o encontro, o presidente da FIFA declarou estar muito satisfeito em ver que o governo dedicará uma parte do orçamento nacional para a construção de infraestruturas esportivas.

"Em um mundo conturbado — a Mauritânia acolhe atualmente cem mil refugiados malineses —, é importante destacar o papel social do futebol", acrescentou Blatter. "Não vamos mudar o mundo, mas podemos preparar um futuro melhor para os jovens, especialmente em um país tão jovem quanto a Mauritânia", concluiu.