Kikwete: "Futebol pode contribuir para a paz"
© Foto-net

O presidente da Tanzânia, Jakaya Kikwete, esteve presente na sede da FIFA nesta quarta-feira para uma visita de cortesia, em que teve a oportunidade de se encontrar com o presidente da FIFA, Joseph S. Blatter.

"Agradeci imensamente ao presidente Blatter por haver me convidado à sede da FIFA, a casa do futebol que todos nós adoramos", disse o chefe de estado tanzaniano, na função desde dezembro de 2005. "Aproveitei para parabenizá-lo pelo trabalho da FIFA em matéria de desenvolvimento do futebol desde que ele assumiu o cargo. O esporte evoluiu significativamente nessa área."

Formada pela união entre Tanganica e Zanzibar no dia 26 de abril de 1964, a Tanzânia faz fronteira com Quênia e Uganda ao norte, Ruanda, Burundi e República Democrática do Congo a oeste, Zâmbia e Malaui a sudoeste e Moçambique ao sul. Esse país em desenvolvimento, que conta com cerca de 945 mil km² de território e 43 milhões de habitantes, pode não ser uma potência do futebol, como sugere a 124ª colocação no Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola, mas a população nutre uma grande paixão pelo esporte.

"A Tanzânia tem recebido um forte apoio da FIFA nos últimos anos, e desejo que assim continue, principalmente para que todos os meninos e meninas do país tenham a oportunidade de jogar bola", continuou o presidente Kikwete. "No momento, infelizmente, estamos longe de figurar entre as principais nações do futebol mundial, mas é preciso ter paciência. Chegaremos lá, estou confiante!"

Em março, a seleção tanzaniana enfrentará o Marrocos pelo Grupo C das eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA 2014. A partida será crucial para definir as chances do país de seguir em frente na competição e permanecer na briga por uma vaga no Brasil.

Ex-jogador de basquete, com passagem pela presidência da federação tanzaniana do esporte de bola ao cesto, o presidente Kikwete é também um grande apaixonado pelo futebol. "Joguei basquetebol e futebol, mas tinha muito mais talento no basquete, em que eu era bom mesmo. Por isso fui incentivado a continuar nas quadras e deixar o futebol para aqueles que eram melhores. Acho que foi uma boa escolha!"

O chefe de estado disse também que a FIFA tem desempenhado um papel importante no desenvolvimento da África, por meio de um forte compromisso com o continente. "Tenho um apreço especial pelo interesse que o presidente Blatter tem demonstrado pela África. Foi graças aos seus esforços que passamos a ter cinco seleções na Copa do Mundo e que a edição de 2010 foi organizada em solo africano."

O presidente tanzaniano, que teve participação ativa na pacificação da região dos Grandes Lagos africanos, particularmente no Burundi e na República Democrática do Congo, como também na reconstrução e na integração da África Oriental, enfatizou ainda a crença no poder de união do esporte mais popular do planeta. "O futebol pode contribuir para a paz de diversas maneiras. Até mesmo nos países em guerra se joga futebol. E mais, nações que não se entendem no plano político ou diplomático costumam se encontrar no campo de jogo sem que haja o menor problema."