Declaração do Comitê de Ética da FIFA
© Foto-net

Após reunião plenária do Comitê de Ética da FIFA realizada em Zurique na última quarta-feira, 23 de janeiro, os presidentes das câmaras decisória e investigatória do órgão, Hans-Joachim Eckert e Michael J. Garcia, divulgaram a seguinte declaração:

"Transcorridos seis meses desde a criação do Comitê de Ética da FIFA, temos a satisfação de sinalizar progressos em diversas áreas.

Com respeito à implementação da edição 2012 do Código de Ética da FIFA, foi realizada uma demonstração prática do funcionamento de uma nova ferramenta interativa de aprendizagem, concebida para instruir os dirigentes de futebol sobre o referido Código, suas regras e proibições, e o dever de colaborar com o trabalho do Comitê de Ética da FIFA. Além de promover a capacitação e a conscientização de maneira geral, a ferramenta será utilizada pelo Comitê de Ética como parte dos acordos firmados com indivíduos que tenham cometido violações menores ou não intencionais. O Comitê de Ética pode exigir, por exemplo, que um indivíduo passe pelo processo de formação e obtenha um diploma antes de aceitar encerrar um caso sem apresentar acusações formais.

O Comitê de Ética também teve a oportunidade de conferir uma prévia do novo canal de denúncias do órgão. O presidente da câmara investigativa terá acesso direto a denúncias sobre violações do Código de Ética e está autorizado a responder com qualquer ação que julgar pertinente. O sistema deverá entrar em operação no início de fevereiro de 2013.

As regras de confidencialidade, bem como os princípios da equidade e do devido processo legal, impedem-nos de divulgar informações sobre grande parte dos processos em andamento. Podemos, no entanto, fornecer uma breve atualização sobre três questões que, reconhecemos, são de particular interesse para o público.

Primeiramente, informamos que o caso relacionado à interrupção do processo entre a FIFA e sua ex-parceira de marketing ISL segue em curso. Quando o inquérito terminar, o presidente Garcia detalhará suas conclusões em relatório ao Comitê Executivo da FIFA, que, como informado anteriormente, remeteu a questão ao presidente. A previsão é de que isso ocorra na próxima reunião do executivo, em março de 2013.

Em segundo lugar, estamos analisando as recentes denúncias relacionadas a manipulações de resultados. O Comitê de Ética tem um papel importante a cumprir para garantir que essas denúncias recebam o devido tratamento, a fim de proteger a integridade do futebol. A câmara investigatória decidirá quanto à abertura formal de processos para tratar desses casos.

Em terceiro lugar, como já é de conhecimento público, certas alegações a respeito de eventos relacionados ao processo de candidatura para as edições de 2018 e 2022 da Copa do Mundo da FIFA foram encaminhadas pela FIFA ao seu Comitê de Ética na esteira de reportagens publicadas na imprensa. A nossa intenção é realizar uma revisão completa dessas denúncias, inclusive com a análise das provas e da credibilidade de qualquer acusação de má conduta individual.

Por fim, lembramos a todos que o presidente Garcia irá analisar e apreciar toda e qualquer informação que receber sobre os assuntos acima mencionados ou sobre qualquer outra questão."