As mulheres em foco em 2012
© Getty Images

Os Estados Unidos dominaram completamente o futebol feminino em 2012. A seleção americana conquistou o ouro olímpico em Londres 2012 e as garotas do país triunfaram na Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA Japão 2012. Entre os clubes, a soberania foi do Lyon, enquanto na Suécia a temporada teve um final dramático.

O FIFA.com relembra os acontecimentos mais importantes do ano no futebol feminino.

Seleções
Um ano de ouro para os EUA
Pouco mais de um ano depois da Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011, as garotas dos EUA conseguiram a revanche pela final perdida contra o Japão. Em uma reedição da decisão do último Mundial Feminino, as americanas conquistaram a sua terceira medalha de ouro olímpica consecutiva na modalidade. Na final dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, o selecionado americano venceu a seleção nipônica por 2 a 1 e defendeu o título com sucesso. A heroína da vitória foi Carli Lloyd, que marcou os dois gols do seu país. Uma surpresa positiva foi o Canadá. Um ano depois da decepcionante eliminação na fase de grupos da Alemanha 2011, as canadenses coroaram a sua boa participação na Olimpíada com a medalha de bronze. Nas disputa pela terceira colocação, a equipe do técnico John Herdman superou a França. Com isso, cresceu ainda mais a euforia em torno da próxima Copa do Mundo Feminina da FIFA, que será disputada justamente no Canadá em 2015.

Troca de treinador
Cerca de três semanas depois da conquista do ouro na Olimpíada, a treinadora sueca Pia Sundhage anunciou a sua despedida da seleção americana. A técnica de 52 anos conquistou duas medalhas de ouro olímpicas e três títulos da Copa Algarve em cinco anos no comando dos EUA. Sundhage, que assumiu em dezembro o comando da seleção sueca, será substituída pelo escocês Tom Sermanni. O treinador de 58 anos, que levou a Austrália a duas edições da Copa do Mundo Feminina da FIFA, assume o novo posto a partir do dia 1º de janeiro.

Alemanha conquista Copa Algarve
Pela primeira vez na história, o Torneio Olímpico de Futebol Feminino não contou com a participação da seleção alemã. No entanto, as garotas da Alemanha conquistaram mais uma taça no ano, amenizando a frustração pela partida perdida contra o Japão nas quartas de final do Mundial Feminino do ano anterior. Na final da Copa Algarve, a equipe comandada por Silvia Neid derrotou o próprio Japão por 4 a 3 e conquistou pela segunda vez o título. No ano que vem, o prestigiado torneio acontecerá entre os dias 6 e 13 de março e os torcedores podem esperar por um futebol de altíssima qualidade. Além da atual campeã Alemanha, também participarão da competição EUA, atual campeão olímpico, Japão, atual campeão mundial, Suécia, Noruega, Dinamarca, China e Islândia.

Jovens craques em grande fase
Depois do triunfo da seleção americana principal em Londres 2012, as jovens garotas dos EUA deram continuidade ao sucesso e conquistaram a Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA Japão 2012. Na final, as americanas derrotaram a Alemanha por 1 a 0. Já no Mundial Sub-17 disputado no Azerbaijão, o domínio da Ásia na categoria chegou ao fim. A França se sagrou campeã depois de derrotar a Coreia do Norte na disputa por pênaltis na decisão do torneio. Na fase de grupos, as francesas já haviam passado por EUA e Coreia do Norte. As duas últimas edições do torneio haviam sido vencidas por seleções asiáticas. Em 2010, a seleção norte-coreana havia ficado com o título, que dois anos mais tarde foi para a Coreia do Sul.

Hora de se aposentar... ou ainda não?
Duas jogadoras alemãs anunciaram a sua aposentadoria da seleção em 2012. A grande atacante Inka Grings se despediu depois de 16 anos defendendo o seu país, enquanto Martina Müller vestiu a camisa da seleção alemã por 12 anos antes de dizer adeus. Nas suas 96 partidas pela Alemanha, Grings marcou um total de 64 gols e foi campeã da Eurocopa em 2005 e 2009. Müller, por sua vez, disputou 101 partidas e foi duas vezes campeã europeia e mundial. Solveig Gulbrandsen, por outro lado, havia encerrado a sua carreira em 2010 depois de uma boa temporada pelo Stabaek, mas em 2012 retornou à seleção norueguesa nas partidas contra Bélgica e Islândia pelas eliminatórias da Eurocopa. Antes disso, Gulbrandsen retornou aos gramados pelo Valarenga, que ela ajudou a se manter na primeira divisão.

Clubes
Final emocionante na Suécia
Dificilmente o Campeonato Sueco poderia ter tido um desfecho mais emocionante. Até a última rodada, o Malmö estava confiante na conquista do seu terceiro título nacional consecutivo, mas no final viu o Tyresö, clube da supercraque brasileira Marta, levantar a taça. Antes do confronto direto contra o próprio Tyresö, o Malmö tinha três pontos de vantagem e precisava apenas de um empate para comemorar mais uma conquista. A partida permaneceu empatada sem gols até os 37 minutos do segundo tempo, quando Madelaine Edlund fez 1 a 0 para o Tyresö, garantindo o primeiro título sueco da história da sua equipe, que tinha um melhor saldo de gols. A atacante da seleção alemã Anja Mittag se tornou uma figura trágica na partida, já que desperdiçou um pênalti aos 14 minutos do primeiro tempo para o Malmö.

Lyon estabelece novos parâmetros
O Lyon conquistou nada menos do que três títulos em 2012. No Campeonato Francês, a equipe do técnico Patrice Lair levantou o troféu com um saldo de gols mais do que impressionante. Foram 119 tentos marcados e apenas três sofridos. Na Liga das Campeãs da UEFA, o Lyon conquistou o seu segundo título consecutivo ao derrotar o FFC. Frankfurt por 2 a 0 no dia 17 de maio em Munique. E, antes disso, o clube já havia vencido a Copa da França.

Novo campeonato feminino em Gana
No meio de dezembro, o futebol feminino de Gana deu um grande passo ao inaugurar a primeira temporada do Campeonato Ganês. Com a nova liga, que conta com 12 clubes, inicia-se um novo capítulo no mundo do futebol feminino e para a Federação Ganesa de Futebol, que contou com amplo apoio da FIFA e da CAF para a iniciativa. O campeonato é um sonho que se transforma em realidade para muitas jogadoras africanas. Segundo o regulamento, os clubes serão divididos entre as zonas norte e sul.

Prêmios
Velhos conhecidos e caras novas
O ano de 2012 se iniciou com um evento especial: a Gala da Bola de Ouro da FIFA 2011. Além do anúncio do Jogador do Ano da FIFA, foram entregues na Kongresshaus de Zurique os prêmios de Jogadora do Ano da FIFA e de Treinador(a) do Ano da FIFA 2012 tanto no futebol masculino quanto no feminino. Na versão feminina, as jogadoras nomeadas foram Homare Sawa, Abby Wambach e Marta e os treinadores finalistas eram Bruno Bini, Norio Sasaki e Pia Sundhage. No final, a honra foi em dobro para o Japão, com as premiações para Sawa e Sasaki. Em dezembro de 2012, foram anunciadas as candidatas e os candidatos ao prêmio deste ano. Marta e Abby Wambach estão novamente na lista, enquanto a terceira jogadora nomeada foi a americana Alex Morgan. Entre os treinadores, os mesmos nomes estão concorrendo novamente ao prêmio.

O momento
As ex-jogadoras alemãs Birgit Prinz e Steffi Jones receberam uma honra especial em abril. Em reconhecimento pelos serviços prestados ao futebol feminino e pelo desempenho como atletas ao longo das respectivas carreiras, as duas foram nomeadas Embaixatrizes da FIFA para o futebol feminino.

Desenvolvimento
No ano de 2012, a importância dada pela FIFA ao futebol feminino se tornou ainda maior. Foram criados mais de 30 projetos para promover campeonatos femininos ao redor do planeta. Mais de oito mil garotas participaram dos Festivais da FIFA, que tiveram por lema "Live Your Goals" e que aconteceram no Azerbaijão, no Japão, na Costa Rica e na Irlanda. A iniciativa "Live Your Goals" tem por objetivo aproveitar a popularidade dos torneios femininos da FIFA para incentivar jovens garotas e mulheres a começarem a praticar o futebol. Além disso, mais de dois mil treinadores e treinadoras participaram de pelo menos um dos 58 cursos sobre futebol feminino promovidos pela entidade máxima do futebol.

O número
180
— A quantidade de projetos de incentivo ao futebol feminino em 2012, os quais beneficiaram mais de cem federações filiadas à FIFA.

O que eles disseram
"Já disputei duas Eurocopas. Foram os torneios onde ganhei tudo. A minha opinião é que, se não for agora, quando poderia ser uma melhor hora para uma reformulação na seleção?"
Inka Grings, atacante alemã, sobre a sua aposentadoria da seleção

Deixe o seu comentário
Na sua opinião, qual foi o melhor momento do futebol feminino no ano de 2012?