Um ano em frases
© Getty Images

Várias grandes jogadoras do futebol feminino concederam entrevistas exclusivas ao FIFA.com ao longo de 2012. Aproveitamos o fim do ano para fazer uma seleção das frases mais interessantes, belas e divertidas dos últimos 12 meses.
 
Com três grandes torneios de seleções disputados ao longo do ano, o futebol feminino proporcionou momentos inesquecíveis em 2012, enquanto craques como Marta e Lotta Schelin causaram sensação jogando por seus respectivos clubes. Todos esses acontecimentos e competições foram acompanhados de perto pelo FIFA.com, que entrevistou grandes craques da modalidade nos últimos 12 meses para acompanhar também seus bastidores.

Com o ano se aproximando do fim, aproveitamos para apresentar uma seleção das melhores declarações de 2012 proferidas por treinadores e jogadoras.

"Sou apenas um vendedor de sonhos que tenta treinar e inspirar da melhor forma possível suas protegidas."
Bruno Bini, técnico da seleção francesa, mostrando humildade em entrevista ao FIFA.com

"Estou ansiosa pelo que vem pela frente. Será definitivamente uma experiência completamente nova assistir a uma Eurocopa com toda a tranquilidade pela televisão ou até ao vivo no estádio."
A alemã Inka Grings fala sobre a Eurocopa Feminina de 2013, da qual ela não participará

"Desde que conquistamos o título, tudo mudou. O interesse da mídia aumentou incrivelmente. Muitas garotas estão comparecendo às partidas ou querem elas mesmas jogar. Antes da Copa do Mundo, ficávamos satisfeitas se mais de mil pessoas fossem ao estádio em um jogo do campeonato nacional. Agora, não é incomum que as partidas tenham um público de dez mil ou até 20 mil. Foi uma evolução enorme."
Kozue Ando, jogadora da seleção japonesa, sobre as mudanças em seu país depois da conquista do título mundial

"Também temos boas jogadoras na Rússia. Em meu clube, tenho algumas. Existe um grande potencial na Rússia que ainda não foi aproveitado. É como se fosse um gigante adormecido."
Achim Feifel, técnico do FC Rossiyanka

"Acredito que superei muitas coisas e no final aprendi com elas. Isso fez de mim uma pessoa mais forte tanto pessoal quanto profissionalmente. Para ser sincera, fico feliz com os tempos difíceis. Não tenho medo das dificuldades, ando sempre de cabeça erguida diante delas e no final me torno melhor."
Hope Solo, goleira da seleção americana, sobre os momentos difíceis e como ela lida com eles

"Na sociedade árabe o futebol é um esporte puramente masculino. Aqui não é como na Europa, onde o futebol feminino desperta muito interesse."
Darine Fakhreddine, jogadora da seleção libanesa, sobre a modalidade em seu país

"A melhor coisa deste ano foi o trabalho em conjunto com a Christine Sinclair."
John Herdman, técnico da seleção canadense, sobre a atacante

“Quando tive meu segundo filho, quis voltar a ficar em forma."
Solveig Gulbrandsen, jogadora da seleção norueguesa, explicando por que voltou a jogar futebol

"Foi um torneio maravilhoso. Jogamos em Wembley, o mais belo estádio da Inglaterra. Isso também foi uma experiência incrível. Fiquei impressionada com o público britânico, que mostrou entender muito de futebol."
Norio Sasaki, técnico da seleção japonesa, sobre o Torneio Olímpico de Futebol Feminino de Londres 2012

"O plano é conquistar o título."
Christine Sinclair, atacante da seleção canadense, sobre a Copa do Mundo Feminina da FIFA 2015, que será disputada em seu país

"Assisti a muitas partidas da Eurocopa 2012 para observar os goleiros, como o Casillas e o Buffon. Também fiquei muito interessada em como o Neuer joga, porque ele é muito inovador. É possível aprender muito estudando a atuação dos outros."
Hedvig Lindahl, goleira da seleção sueca, sobre seus colegas de posição no futebol masculino

"Nunca pensamos em desistir ou deixamos a cabeça cair. Este simplesmente não é nosso lema!"
Alexandra Popp, jogadora da seleção alemã, mostrando determinação em entrevista exclusiva ao FIFA.com

"É preciso que tenhamos inteligência e tomemos as decisões corretas para que a próxima geração tenha mais chances do que a nossa. Este era meu objetivo quando passei a defender a seleção americana: deixar o futebol melhor do que quando o encontrei."
Abby Wambach, sobre sua função como ícone do esporte