A FIFA deu mais um grande passo nesta terça-feira em seu compromisso de construir 20 Centros Football for Hope na África, com a inauguração das instalações de Kimisagara, em Ruanda. Esse é o sétimo dos 20 projetos inicialmente planejados e dá sequência ao legado da campanha oficial da Copa do Mundo da FIFA 2010, "20 Centros para 2010".

O ministro de Esporte e Cultura de Ruanda, Protais Mitali, abriu o centro oficialmente no início de uma tarde festiva nas colinas da capital, Kigali. Após o corte simbólico da fita e o descerramento da placa de inauguração, apresentações de dança e canto serviram de aquecimento para a partida disputada no novo campo de grama artificial, construído pela FIFA.

Centenas de crianças de escolas da comunidade proporcionaram uma atmosfera ainda mais animada, não apenas nas atividades esportivas e culturais, como durante os discursos dos representantes do governo, da FIFA e da Federação Ruandesa de Futebol, ao longo de uma série de festividades que invadiu a noite.

"A Copa do Mundo de 2010 pode ter acabado há muito tempo, mas seu legado continua crescendo", disse Cornelia Genoni, diretora de Responsabilidade Social Corporativa da FIFA, ao grande público presente. "Sediar o primeiro Mundial na África representou muito mais do que simplesmente organizar um torneio de futebol. A FIFA firmou o compromisso de deixar um legado social tangível para todo o continente, não apenas para o país anfitrião. Com a inauguração deste centro, estamos dando mais um passo no cumprimento da promessa de usar o futebol como ferramenta para a promoção de projetos sociais."

O centro de Kigali é administrado pela Espérance – Association des Jeunes Sportifs de Kigali, cujo objetivo principal é prestar consultoria e treinamento para que os jovens superem as divisões étnicas e se tornem agentes da paz na comunidade.

A iniciativa da FIFA é uma contribuição para o processo contínuo de reconstrução do país situado no leste africano, após o genocídio de 1994, que deixou a população traumatizada e mergulhada em profundas rivalidades étnicas. Desde então, Ruanda tornou-se um símbolo internacional de paz e reconciliação, para as quais o futebol tem desempenhado um papel importante.

Entre 150 a 200 crianças dos subúrbios da capital ruandesa têm a oportunidade de participar de programas e cursos no centro Espérance, além de fazer aulas de teatro e, o mais importante, jogar futebol. A associação tem uma equipe que disputa a segunda divisão do campeonato nacional e já revelou dois jogadores para a seleção de Ruanda.

O centro de Kigali dá sequência à inauguração de projetos semelhantes em Khayelitsha (Cidade do Cabo, África do Sul), Katutura (Windhoek, Namíbia), Mathare (Nairóbi, Quênia), Baguineda (Bamako, Mali), Maseru (Lesoto) e Cape Coast (Gana).

Em meados do ano que vem, outros 13 Centros Football for Hope serão concluídos em Botsuana, Camarões, Cabo Verde, República Democrática do Congo, Etiópia, Mauritânia, Moçambique, África do Sul, Tanzânia e Zimbábue.

"Todos os centros praticam a filosofia de usar o futebol para promover a esperança e dar oportunidades aos jovens, mas, ao mesmo tempo, cada um deles é único", acrescentou Genoni. "A FIFA está comprometida com o fornecimento de recursos e conhecimento para a superação de desafios sociais em todo o mundo."

O presidente da Federação Ruandesa de Futebol, Celestin Ntagungira, concluiu a cerimônia com um agradecimento ao trabalho da FIFA. "Este centro produzirá os futuros líderes de nosso país, tanto dentro quanto fora de campo."